quarta-feira, 31 de julho de 2013

Homossexuais: Novidade de conteúdo e novidade de atitude

A maior parte da imprensa laica destacou as palavras do Papa sobre os homossexuais: "Se alguém é gay e procura o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para o criticar?"

Na peça do El Mundo que citei (aqui), era essa frase que surgia em primeiro lugar. A generalidade dos jornalistas vaticanistas - não vai no avião do Papa qualquer um e não vão os jornalistas que "não percebem nada de religião" - deu destaque a esse assunto.

Depois disso, diversos comentadores católicos vieram dizer que não havia nada de novo nessas palavras, que a seguir o Papa disse para ler o Catecismo nesse capítulo, que... É verdade que não há novidade no conteúdo, estritamente falando (mas desde quando é que o critério da novidade de conteúdo serve para destacar o que um Papa diz? Eles não andam propriamente preocupados com as novidades de conteúdo). Mas há novidade de atitude. Algum dia alguém ouviu um Papa falar deste modo sobre os homossexuais?

E se as palavras do Papa forem levadas a sério - ou seja: deixar de haver críticas aos homossexuais que "procuram o Senhor e têm boa vontade" - continua tudo na mesma nas comunidades cristãs? O conteúdo não será novo, mas as atitudes mudarão muito. E, se tanto se criticam os católicos não praticantes, talvez se deixe se ter na mente que os homossexuais católicos só podem ser homossexuais não praticantes.

13 comentários:

Paulo disse...

O que sinto que devia ser destacado, tal como o Santo Padre referiu é o problema dos Lobys, seja de homossexuais, politicos ou outros. Mais do que a orientação sexual, são os Grupos ou Lobys...

Anónimo disse...

Realmente, Sr. Jorge, dá que pensar.

A pastoral(que ajuda se dá aos pais nesta situação?) tem pelo menos de clarificar-se no modo como essas pessoas podem e devem ser acolhidas.A verdade é que muitas pessoas (entre as quais me incluo) realmente não sabem como lidar com esta questão,que ao que tudo indica será um elemento cada vez mais presente no nosso quotidiano.

Já li algures que o Papa, com este "procura o Senhor e tem boa vontade", estaria a referir-se aos homossexuais que procuram viver a doutrina da Igreja, ou seja os celibatários. Mas não sei. Concordo consigo que nunca ouvi um Papa falar assim sobre este tema e que alguma consequência terá de ser retirada. Até porque acho que a Igreja, que rejeita e bem a "ideologia" e o lobby gay, não oferece alternativa aos jovens católicos que descobrem ter essa orientação a não ser o afastamento da Igreja e a aproximação a essa "ideologia".

Maria João Brás

Anónimo disse...

Sim, o Papa foi novo nas palavras e na atitude. E quando há uma mudança positiva nas palavras e na atitude surge legitimamente a esperança de que venha a ocorrer uma mudança no "conteúdo", nomeadamente em relação ao artigo do Catecismo que condena os actos homossexuais como intrinsecamente desordenados.

Anónimo disse...

(continuando o comentário anterior)
Sim, o Papa trouxe uma nova atitude que retira o tapete a todos os católicos fundamentalistas (padres e leigos) que escrevem artigos e fazem intervenções públicas cheios de ódio contra os homossexuais.
Sim, o Papa operou realmente uma mudança que esses católicos fundamentalistas pretendem agora por todos os meios desvalorizar ou minimizar.
Sim, depois da misericórdia o coração humano muda : nas palavras, na atitude, no conteúdo dos sentimentos que transporta.

Anónimo disse...

Se estiverem bem atentos. Nada mudou relativamente ao que escreveu Bento e o que diz o Catecismo.

Anónimo disse...

tanta bacorada se está aqui a afirmar....e tanto mal se está a fazer em primeiro lugar aos homosexuais

Anónimo disse...

Caro Jorge, o titulo do seu artigo contradiz o 'conteudo' do mesmo artigo, afinal você próprio reconhece que não há mudanças de conteudo, contráriamente ao que o titulo poderia sugerir. Mudança de atitude ? Não me lembro de ver algum Papa a maltratar em termos humanos ou a inferiorizar um homosexual. Você lembra-se? Admito que alguns católicos com menor compaixão possam ter feito mal a muitos homosexuais ( e aí não terão sido nada cristãos). Se concordo consigo que os cristãos devem receber todos sem excepções com igual compaixão, discordo em absoluto com o tom do artigo: no fundo tudo isto se trata de um processo evolutivo por parte da Igreja de saída das trevas rumo à luz com a aceitação da homosexualidade enquanto estilo e prática de vida. Acho mesmo que há uma clara estratégia para armadilhar Francisco, pois quando não afirma o que querem ouvir é porque ele está ainda refém da Igreja, quando afirma uma evidência logo extrapolam para segundas intenções de aproximação à dita agenda fracturante. acho pouco sério

Anónimo disse...

Católicos fundamentalistas tentam por todos os meios minimizar e desvalorizar o gesto e as palavras do Papa Francisco mas deveriam tentar disfarçar um pouco melhor a sua irritação e homofobia que se torna evidentíssima de forma indecorosa e muito pouco cristã.

Anónimo disse...

Você nao perecbeu nada. Todos os catolicos concordarão com Francisco naquilo que ele disse, repito, naquilo que ele disse. Para usar uma terminologia habitual nele, só posso dizer que há aqui maozinha do diabo na forma como o lobi gay está a querer lançar confusão e a manipular a bondade e expontaneidade de Francisco. Os tais catolicos 'fundamentalistas' onde, de acordo com os criterios do lobi gay se incluirão todos aqueles que não capitulem à agenda fracturante e portanto o proprio Francisco e os bispos já nem se ofendem com as acusaçoes de homofobia.

Anónimo disse...

Agenda só conheço a moleskine.

Anónimo disse...

Fui ver e ainda nao mudou:
"§2357 CASTIDADE E HOMOSSEXUALIDADE A homossexualidade designa as relações entre homens e mulheres que sentem atração sexual, exclusiva ou predominante, por pessoas do mesmo sexo. (...) Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves, a tradição sempre declarou que "os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados". (...) Em caso algum podem ser aprovados."

VM

Anónimo disse...

O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado.

A actualidade das palavras de Jesus
ainda não caducou.

Paulo disse...

Sinceramente acho alguma piada, num tema como este, 99,9% dos comentários serem de "anónimo". Tanta opinião, mesmo válida no meu ponto de vista, mas citada a coberto da anonimidade. Dá-me a impressão que ainda vivemos numa certa ditadura democratica.

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...