sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Vaticano II e o diálogo interreligioso


Narciso Machado sobre o Vaticano II e especialmente o documento Nostra Aetate, sobre o diálogo entre religiões. No "Público" de hoje. 

6 comentários:

maria disse...

boa proposta de leitura. de facto, conhecer de perto é diferente de ver apenas alguns actos(terrorismo, manifestações de violência) que são feitos de propósito para nos levar a julgamentos rápidos e olhares superficiais sobre a realidade. O cristianismo estará tanto mais saudável quanto mais se tornar diálogo e dialogante com todas as outras expressões de fé.

Anónimo disse...

Maria,

vivi 30 anos na Jordânia e sei que o terrorismo islâmico não é acidental: é endémico à ideologia maometana.

AM

maria disse...

AM,

Ok, continua a ser apenas a sua vivência e o seu testemunho.

Anónimo disse...

Pois é Maria,

mas como o meu testemunho se baseia no contacto com os textos mais ortodoxos do islão, não se trata de uma questão meramente subjectiva. Não é uma religião o que os seus textos dizem que ela é e o que os seus seguidores ortodoxos fazem quando em liberdade?

AM

maria disse...

Bom, mas assim sendo, está a agir em relação ao Islão como, por exmplo, o Saramago com o Deus bíblico.

Anónimo disse...

Maria, Maria...

só estaria a agir como Saramago acerca do AT se a minha leitura dos textos do islão:

a) não tivessem em conta as interpretações islâmicas ortodoxas acerca dos mesmos:
b) impusesse os meus preconceitos e prejuízos aos mesmos,

como tal não é o caso, não vejo que a Maria tenha razão.

AM

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...