quarta-feira, 18 de abril de 2012

Já nem o Vaticano sabe que feriados eliminar


No JN de hoje. Agora já nem o Vaticano sabe que feriados eliminar. Pensava eu que estas hesitações e adiamentos só aconteciam em Portugal.


Tenho uma proposta absurda para estes tempos de individualismo e tecnologias digitais omnipresentes: O Estado dá a cada cidadão um certo número de feriados (dez, por exemplo) e cada um usa-os quando quiser, para fins religiosos ou civis, negociando com a sua entidade patronal, como quando marca férias.


O ateu pode muito bem trabalhar na Sexta-feira Santa. O católico, em vez de comemorar o 5 de Outubro, pode preferir fazer uma peregrinação no dia do seu santo homónimo. Para efeitos estatísticos e outros, os feriados de cada um poderiam ficar registados em www.meusqueridosferiados.pt.

2 comentários:

maria disse...

www.meusqueridos... está muito bom! ;)

paulo aparicio disse...

Professor:

DE TOPO!!!!!

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...