terça-feira, 6 de setembro de 2011

Bento XV ou como a pontualidade fez antecipar a morte



O Papa Bento XV, aquele que qualificou a I Guerra Mundial de “massacre inútil”,  gostava de pontualidade, esse dom tão pouco apreciado em Portugal. Gostava tanto que um dia ofereceu relógios aos seus colaboradores:
Toma, pega nisso. Assim não terás mais desculpas para chegar atrasado.
Num escrito papal de 1915, pode-se ler:
Um bom relógio pode ajudar-nos a sermos exactos e a estarmos preparados para qualquer compromisso, sem perder tempo com antecipações inúteis, nem tampouco parecer descorteses com atrasos injustificados.
Mas foi precisamente a pontualidade que esteve na origem da sua morte. No dia 17 de Novembro de 1921, teve que esperar durante alguns minutos o guarda que lhe abriria a porta para entrar na Basílica de São Pedro através da Sala do Sacramento. A breve espera ao frio constipou-o. Mais tarde, adoeceu com bronquite, doença que o levou ao túmulo, no dia 22 de Janeiro de 1922.


Lido aqui.

1 comentário:

Fernando Correia de Oliveira disse...

levei: http://estacaochronographica.blogspot.com/2011/09/um-papa-que-gostava-de-relogios.html

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...