terça-feira, 6 de setembro de 2011

Bento XV e os erros do «L’Osservatore Romano»

Bento XV controlava cada aspecto da vida da Santa Sé. Um dos seus hábitos consistia em assinalar os erros do “L’Osservatore Romano”. Relata o director de então do diário da Santa Sé, o conde Giuseppe Dalla Torre:
As correcções, por vezes, chegavam de imediato. Uma vez, o jornal havia escrito que, numa cerimónia, em Bolonha, estava presente a sr.ª Augusta Nanni Costa – o que na realidade não havia acontecido –, a quem o Papa queria entre os participantes da Junta Directora; atribuíra aos Estados Unidos uma determinada ilha asiática; tinha visto noutra cerimónia uma personalidade de renome. Bento XV escreveu: “A sra. Nanni Costa não se encontrava nesse dia em Bolonha; a ilha pertence à Ásia; a personalidade está morta. Portanto, o «L’Osservatore Romano» outorga o dom da ubiquidade, transporta as terras de um continente para o outro e ressuscita os mortos".
Lido aqui.

Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...