sábado, 25 de outubro de 2014

Este blogue já teve mais de 500 visitas diárias

Este blogue já teve mais de 500 visitas diárias. Foi no tempo de Bento XVI e nos primeiros meses de Francisco. Agora anda pelas 100. A queda não tem nada a ver com Papas nem com mudanças de bispo (que aconteceu na diocese em que vivo). Tem a ver somente comigo e as minhas circunstâncias familiares e  laborais.

Mas vou retomar o ritmo antigo das três a cinco entradas diárias (nem nas cinco semanais estou agora). A ver se acontecem três coisas:

- diminui o tom de irritação nos comentários;
- sobem as visitas até aos 300 no prazo de um mês;
- e ficam aqui registadas coisas que me interessam (sim, o meu blogue também funciona para mim como arquivo).

7 comentários:

Anónimo disse...

Jorge, o tema da “irritação” é simples de explicar: Na maioria dos comentários, o que ressalta é o medo. Medo de perder referenciais (artificiais), feitos pelo homem, normativos e historicamente (isto é, temporariamente) estruturantes, ainda que inspirados por Deus, mas que são apenas a encarnação na cultura. Deus é Amor absoluto e não normativo. O Amor não precisa de normas, porque é dádiva, 1º de Deus, e depois daqueles que acolhem e espalham esse Amor. Só quem tem medo do sopro de Espírito que ilumina a Igreja, é que reage assim. Esta é a razão principal, e o último Sínodo foi claramente um belo exemplo disso… ponto final!

Anónimo disse...

Alguém me sabe dizer se os senhores Reverendos Padres, Duarte Sousa Lara e Gabrielle Amorth fazem parte dos convidados que participarão na Solene concessão do título de Basílica ao Santuário de Stº Cristo de Outeiro, no próximo dia 8 de Novembro 2014?

Pedro José disse...

Sempre que consulto a net (nem é o "meu" ritmo é diário por vezes longe disso...) passo os olhos e por vezes leio a Tribo de Jacob (tb. comentários): é um blog diferente na qualidade. Para mim essa retoma do ritmo antigo é uma boa (in)formação!

Anónimo disse...

Caro Jorge, desejo que esses três propósitos se concretizem.

Mas a latrina destas caixas de comentários tem que ser limpa. Por favor. Tenho visto aqui, sob o seu silêncio, murmurações e insinuações sexuais sobre bispos e padres portugueses da parte de uma gentinha baixa que se esconde na cobarde forma do anonimato.

Se o Jorge continuar a permitir isso é muito mau para este blogue. Não basta provar que não se é um robô, digitando 3 números. É preciso provar que não se é um cão e se sabe estar entre os humanos.

Rui Jardim

Jorge Pires Ferreira disse...

Obrigado, Pedro.

Rui Jardim, sei que perdi alguns leitores devido aos comentários anónimos outros. Alguns disseram-me que cá não voltariam enquanto fossem permitidos comentários anónimos.

Eu continuo a pensar que o anonimato é uma ferramenta que pode ser usada para o bem ou para o mal.

Continuo na esperança de que um dia só seja usada para o bem.

Anónimo disse...

É assim mesmo Jorge. Não deixa de ser curioso que um anónimo (que assina como "Pedro" sem nenhuma verificabilidade) se queixe do anonimato. Acha que se trata de esquizofrenia?

Anónimo disse...

Disse "Pedro", desejava dizer "Rui Jardim", claro.

E tem muito peso na sua vida?

Lido hoje no DN . Entrevista a Patrícia Reis (a da revista "Egoísta"). Falámos só do abuso em relação à Sofia mas há outros te...