terça-feira, 15 de julho de 2014

Compreender o Espírito Santo

Do "Diário Económico" de hoje. Julgo que a cronista se referia ao Espírito Santo mesmo, o original. Mas ficaram com piada, o texto e a foto.

5 comentários:

Miguel disse...

Muitas famílias e crianças foram poupadas de um mundo alheio, terrivelmente pobre e miserável, e que puderam ir à praia, e lambuzar-se com as tais as “bolas de Berlim”, enquanto outras, sobretudo os que tinham a sorte de chegar a velhos, morriam sem nunca terem conhecido o mar, e muito menos darem-se ao luxo de ter como extra à mesa, (nem o pão, meu Deus!), os tais cremes embrulhados em bolinhas açucaradas, que as mantinham bem gordas e anafadas, e com as bochechinhas de um tom avermelhado, esses rostos imberbes, frutos dessa geração que já sonhava e brincava ao outro jogo do monopólio, de onde saiam os futuros espíritos santos & Cª Lda pelo circulo restrito das gerações dos avaros liberais, confirmados e baptizados nessas conhecidas missas privadas, por um especial favor, concedido e executado, por uma daquelas almas trajada de tons violeta!

O grave até nem são as “bolas de Berlim”, isso, a natureza logo se encarregará de cuidar que tudo fique no seu devido lugar, como manda a verdade da condição humana, que se está borrifando, para as “bolas de Berlim”, “espíritos santos” e “bandeiras”… O grave é ninguém ter a coragem de dizer, que são esses mesmos pobres que servem agora de peões, num xadrez povoado de reis e de reinos que nada têm a ver com o Reino dos pobres do Evangelho, os que nos momentos das aflições, acabam por ser sempre os únicos (salvo raras excepções), a arregaçarem as mãos, e a avançarem com o pouco que ainda lhes resta, para estender a mão ao irmão que precisa, enquanto os seus reis, príncipes, e respectivas cortes, se digladiam entre si, a ver quem fabricou as melhores “bolas de Berlim”, para depois agraciar os pobres, nas festas das quermesses católicas e comunistas, onde fazem fila para cortar as fitas e aparecer depois na foto oficial, que logo os respetivos servos fieis dos mídia, se encarregarão de alourar em banho maria, num tacho de letrinhas muito bem desenhadas doutrinalmente, besuntado com tinta da graxa humana!

Infelizmente ficou ainda por explicar, pelas(os) apreciadores de “bolas de Berlim”, quando terminarão as “caridades” cristãs e politicas, por se transformarem em verdadeiro caminhos para a libertação dos pobres e do fim definitivo da pobreza! Os Guetos e os Gulag’s, foram de facto, entre muitas outras sombras do mal, das maiores barbaridades humanas que os regimes comunistas criaram…! O problema, é que há muitas espécies de Guetos e os Gulag’s erguidos por esse mundo dito democrático, livre, e até cristão… eles estão bem perto das nossas portas, e não se restringem só à privação da liberdade humana… eles têm também a ver com as outras privações de liberdades como são: as do pensamento, as do viver dignamente, as do direito à diferença, as do direito à escolha de caminhos que não estão limitados por fronteiras e muros, erguidos por doutrinas religiosas ou politicas…etc…etc…

Já agora, enquanto esperamos e desesperamos pelo fim da pobreza, vamos todos erguer as tais bandeirinhas, gritando alto e a bom som; VIVA as “bolas de Berlim”… enquanto as tais cortes, vão desfilando as suas misérias humanas, nas avenidas da Terra!

Miguel disse...

O problema, é que há

«também»

muitas espécies de Guetos e Gulag’s erguidos por esse mundo dito democrático, livre, e até cristão… eles estão bem perto das nossas portas...


(faltou o «também»... desculpem...)

Miguel disse...

Faltou-me acrescentar aos Guetos e os Gulag’s, a outra via ainda mais sombria, a tal “Solução final”, filha predilecta de Hitler, e agora, pelo que soa por aí nas bocas das Europas moribundas de humanismos, uma ideia também indirectamente acarinhada pela Christine Lagard, a directora do FMI como sabeis:

“…medidas urgentes precisam-se, porque os idosos vivem demasiado tempo, tornando-se um risco para a economia global.” Christine Lagard

Também cá pelo burgo portucalense, já andam a rebater os sinos desse alarme das longevidades excessivas dos idosos… até os “médicos são intimidados, com ameaças de coimas e pressões, por excesso nas receitas”(Dn)! E não ficamos por aqui, até porque “no poupar é que está o ganho”, (uma das estações preferidas da via sacra liberal)! Parece que a fasquia agora já baixou para a partir dos 35/45 anos e…., a verificar pelos “velhos trintões/quarentões”, que ainda são jovens para a reforma, mas velhos para trabalhar!

Anónimo disse...

Ó Miguel, porque não cria o seu próprio blogue?

Miguel disse...

Anónimo/3:26 da tarde... não percebi o seu comentário, que só pode ter duas leituras:

Ou a minha intervenção como comentador (a função deste é comentar!), tornou-se incómoda, e o melhor é afastar/silenciar nesse convite cheio de inocências, ou então, e perdoe-me se errei antes na “pontaria”, o caro está mesmo interessado em aprofundar e conhecer melhor a outra face desse caminho em que acredito!

Por acaso, até “tenho” um blog, embora não escreva ali uns tempos! Mas será inútil passar agora por esses recantos, até porque estou de partida, e o lugar para onde vou, não bebe nem necessita dessas águas…ali, o que vale, não são as palavras, mas o que fizemos pelo nosso Irmão!

Já agora, aproveito para agradecer ao Jorge a sua abertura e disponibilidade por me ter recebido estes tempos que andei por aqui, foi uma experiência enriquecedora, mesmo com toda a amálgama de sentimentos que aqui me foram atirados/oferecidos por alguns aos quais não guardo qualquer ressentimento! Uma coisa, estou certo, não andei aqui a empatar ninguém e muito menos a tentar convencer aqueles que decidiam ler os meus comentários, onde sempre me pautei pela transparência, embora isso seja coisa que já se vai notando muito pouco por estas terras dos diálogos humanos!

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...