segunda-feira, 19 de maio de 2014

Mulheres apaixonadas por padres escrevem ao Papa

Vinte e seis mulheres apaixonadas por padres escreveram ao Papa. Li no Público. O que me intriga nesta notícia é: como se conheceram, já que se trata de uma carta única? De resto, o celibato presbiteral obrigatório não é milenar (diz-se que o celebrado Bartolomeu dos Mártires, em Trento, pediu uma exceção para os seus padres do Barroso. Foi mesmo?), como se diz na notícia. Nem universal para os católicos (há os protestantes convertidos, os ex-anglicanos, os católicos de rito grego). E como opção até é pré-cristão. Por outro lado, porque não lhe escrevem os padres?

9 comentários:

Anónimo disse...

Um absurdo e uma aberração anti-natura e anti-criação divina! A maior parte dos discípulos que Jesus chamou eram homens casados gente humana carregada de sentimentos e também muito barro! Manter a disciplina do celibato e justificá-la na presunção da obediência só pode sair de gente que ainda não aprendeu totalmente a liberdade ofertada por Aquele que jamais a invadiu obrigando o outro a assumir uma oposição à própria natureza divina nele imprimida! Anular a humanidade total do ser humano é anular a própria perfeição da criação tão defendida por quem depois impõe a castração de uma face do Amor que é dom de Deus! Jorge o que está a fazer falta não é tinta nem papel para escrever ao Papa mas sim muita conversão no coração de muitos padres que andam por aí a anunciar o amor mas depois não têm coragem eles próprios de assumir as suas consequências quando este invade e desinquieta as suas vidas cheias de solidão!

Anónimo disse...

Um absurdo e uma aberração anti-natura e anti-criação divina! A maior parte dos discípulos que Jesus chamou eram homens casados gente humana carregada de sentimentos e também muito barro! Manter a disciplina do celibato e justificá-la na presunção da obediência só pode sair de gente que ainda não aprendeu totalmente a liberdade ofertada por Aquele que jamais a invadiu obrigando o outro a assumir uma oposição à própria natureza divina nele imprimida! Anular a humanidade total do ser humano é anular a própria perfeição da criação tão defendida por quem depois impõe a castração de uma face do Amor que é dom de Deus! Jorge o que está a fazer falta não é tinta nem papel para escrever ao Papa mas sim muita conversão no coração de muitos padres que andam por aí a anunciar o amor mas depois não têm coragem eles próprios de assumir as suas consequências quando este invade e desinquieta as suas vidas cheias de solidão!

Anónimo disse...

Como se tal absurdo não bastasse esses que não conhecem os embates e as riquezas do dia-a-dia de um casal que nunca sentiram as dificuldades que carregam criar e educar um ou mais filhos nem as angústias de saber não ter nada à mesa porque se perdeu o emprego ou as decisões dolorosas e marcantes para uma vida sobre que carrega acolher ou não uma criança que está a ser gerada… por aí adiante/ são precisamente estes que se arrogam o direito de serem conselheiros conjugais de decidir e guiar mesmo até condenar sem nenhuma hesitação situações que jamais sentirão e viverão na sua própria pele tudo porque vivem em ilhas onde os sentimentos não têm espaço /e se existem como existe em qualquer ser humano normal há que matá-los/suprimi-los mesmo até entre si próprios basta verificar essas imensas paróquias com mais de um sacerdote onde cada um vive isolado na sua própria casa/ e se almoça esporadicamente com o companheiro de caminho da Fé a coisa tem que ser feita num local neutro /o restaurante/ para que nada possa invadir a sua vida! E andam eles depois a afirmar por aí que essa vida é sinal de entrega total a Deus e aos irmãos! Pisa lá tu o espaço destas almas solitárias e logo verás de quantas entregas são feitas a alma de um desses eunucos funcionários de um Deus que parece adorar castrar filhos …!

Anónimo disse...

"A maior parte dos discípulos que Jesus chamou eram homens casados"... outro que deve ter tido uma revelação divina... nem é preciso ler mais nada...

Anónimo disse...

São Paulo, ou quem quer que escreva em nome dele, diz que o presbítero deve ser "marido de uma só mulher". Suponho que não está a falar das irmãs deles. Nem de Maria. Nem da Igreja. E que o bispo não deve ser dado ao vinho.
j.g.

Anónimo disse...

6:18 da tarde, vejamos: Jesus chama e elege um homem casado, Pedro, como futuro líder do grupo dos discípulos e da Igreja! Não vejo em lado nenhum alguma interrogação ou atitude de Jesus que denuncie da sua parte vontade de alterar essa situação, não só a de Pedro como alguns dos outros (nunca disse que eram todos, é fácil pegar numa frase e descontextualizá-la!) ... não vai dizer-nos que os outros eram um grupo de virgens solteirões, pois não! Meu caro, eu até percebi a sua indisposição sarcástica e tanto se me dá que seja um desses “eunucos” ou não, porque o que está aqui em causa é mais profundo do que meras discussões exegéticas sobre quantos deles eram casados ou se a palavra “mulher” tem este ou aquele sentido nas semânticas gregas! Remetendo-me ao que interessa: tenho companheiros de caminhada da Fé que são padres, muitos casaram, têm filhos lindíssimos e são felizes, e isso é o que importa e está antes de qualquer vocação mais específica! Esta é mesmo a primeira vocação a que Deus chama a todos, sermos felizes, depois, cada um segue o seu caminho pessoal na rota de Deus! Se alguns acham que como eunucos são felizes, pois amém! Não percebo é como resolverão o problema do “espinho na carne”!

Anónimo disse...

Vamos lá ver se nos entendemos quanto às famílias das pessoas do Segundo Testamento. Pedro tinha sogra, mas era viúvo, tal como outros apóstolos. Todos os apóstolos eram solteiros ou viúvos.

Já os irmãos de Jesus eram primos. Ou então eram irmãos e irmãs, mas só de nome, por serem filhos do primeiro casamento de S. José, que era velhinho quando se casou com Maria e, portanto, não se passou nada. Isto, quanto a pessoas de cuja sexualidade se fala mais ou menos directamente.

Quanto a Jesus, que já tinha idade para ser avô quando começou a dar nas vistas, era solteiríssimo. Pois se sobre quem se fala temos explicações que contrariam a lógica, sobre aquele do que nada se diz segue-se a lógica, mas só num sentido. É tudo muito lógico, de facto. Mirabolantemente lógico. Pena não ter nada a ver com a vida.

Anónimo disse...

As bimbas que deixem de ser porcalhonas.

Anónimo disse...

E os bimbos que deixem mas é de se armar em puritanos, com manias de virgindades já gastas, nas noitadas anónimas, longe dos olhares incómodos! Assumam a sua sexualidade definitivamente e sem medos!

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...