sábado, 15 de março de 2014

Noé

Mais uma polémica. Agora por causa do filme "Noé". A notícia do "Público" diz, mais coisa menos coisa, que há críticas de judeus (o realizador, Aronofsky, é judeu), católicos e muçulmanos. Mas por que motivos? Quanto aos muçulmanos, parece que é apenas e simplesmente por o filme representar fisicamente Noé. A velha questão da iconoclastia. Não é se é bem ou mal representado. É simplesmente por representar.

É altamente improvável vir a ver o filme no cinema. Mas até gostaria.

7 comentários:

Anónimo disse...

Nada de novo na terra prometida nunca alcançada por misóginos castrados na inteligência e nos afectos abertos em feridas purulentas de ódio reprimido fruto da repetição diária dos golpes abjectos dos seus cilícios mentais!

Anónimo disse...

Camarada antónio das 554, acho q essa cassete já tinha passado. Jorge pq não accionar o sistema anti robôs q obriga a decifrar um codigo antes do comentario?
Jacome

Anónimo disse...

Camarada Jacome de facto podia ter evitado o quadro pesado das feridas porque com os abjectos cilícios mentais ficava tudo dito apesar de o que escrevi ter sido muito adoçado para esse poço cheio de trevas onde bebem tais criaturas travestidas de espíritos aitholos mas afinal confirma-se que há por aqui quem os use ainda às escondidas a constatar pelos gemidos apelando à censura um prato muito apreciado pelos jejuns com que tais personagens se banqueteiam!

Anónimo disse...

8:19 da manhã; 11:44 da manhã
subscrevo e acrescento aos cilícios mentais também os reais. Gente maluquinha da cabeça

Anónimo disse...

“Após o combate, 2 boxeurs pedem casamento às namoradas no ringue”

Luis M. Faria - Do outro mundo. (in e
Expresso)

Anónimo disse...

O pior nem são os “maluquinhos da cabeça” esses já não representam “perigo” nenhum! O pior são os saudosos dos cilícios que de “maluqinhos” não têm mesmo nada o que eles têm é astúcia de raposas e olhares de rapina fixados sobre os mais frágeis! Os outros “maluquinhos” querem lá eles saber do “reino dos céus” enquanto podem muito bem aqui na santa terrinha viver já uma cópia mal feita do paraíso! Olha por exemplo um dos que subiu aos últimos degraus antes de chegar às alturas só com um salto enquanto dava o grito da ipiranga sobre os “indígenas” bracarenses! Sim o novo capelão das forças armadas um ex professor reformado com 1429 euros dizem que foi bispo de Braga e parece que agora ao acumular aquela pensão rasca com a de supremo católico das fardas a coisa não fica por menos de 3518,62 €. E sabem o que eles dizem a quem tem inveja e lhes chama “pobres de espírito”: eles que copeiem e aprendam como se devede um automóvel com motorista um gabinete com sofás decorados com galões generalíssimos à mistura e para completar uma secretária porque depois o que não faltam é ennns de secretárias no paraíso!

Anónimo disse...

Acreditem que a fórmula certa está no “copeiem” e no “devedem” a única que nos vai valer a sério nestes 20 e tal anos de deserto que o Presidente vaticinou como uma maldição kármica por cada euro mal gasto que será bem suado baixo o jugo das hostes gemanico-troykanas! Enquanto caminhamos no deserto os “maluquinhos” vão gozando a vida enquanto soltam aquele riso /às vezes lá soltam uma esmola/ como quem tem muita pena dos pobrezinhos coitados!

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...