sábado, 7 de setembro de 2013

"A Virgem é mais importante dos que os apóstolos"?

O Papa diz que a "a Virgem é mais importante dos que os apóstolos". Vem na crónica de hoje de Anselmo Borges (ver entrada anterior).

Não duvido da importância que Nossa Senhora (gosto mais desta expressão do que "Virgem", embora "Nossa Senhora" possa fazer um protestante dar saltos na cadeira) tem na versão católica do cristianismo. Mas "mais importante do que os apóstolos" numa Igreja que é apostólica? Algo me parece dissonante nesta medida de importância.

11 comentários:

Anónimo disse...

Claro que há que distinguir em que é que ela e eles são importantes. Estarei enganado se disser que a relação espiritual dos crentes com ela é mais importante do que a que têm com eles?

Anónimo disse...

Deixo uma pergunta: o autor do blogue acredita na Ressurreição de Cristo? E na Virgindade de Maria? Parecem coisas impossíveis mas...

Anónimo disse...

Parabens a Maria, Nossa Mae.

Jorge Pires Ferreira disse...

A quem me deixou uma pergunta - duas, na verdade.

- Acredito na Ressurreição de Jesus Cristo, sim. E não lhe pergunto a si o que entende como Ressureição de Jesus Cristo.

- Quanto à Virgindade de Maria, como pode ter vários sentidos, antes de responder, gostava de saber o que o sr. entende por Virgindade de Maria. Se quiser saber a minha resposta, dê-me antes a sua.

Não me parece que sejam coisas impossíveis. Ninguém é obrigado a acreditar em coisas impossíveis. Aliás, não devemos acreditar em coisas mesmo impossíveis.

Anónimo disse...


O que o papa Francisco diz, é apenas a constatação daquilo que nós, os Protestantes, (embora eu prefira o termo Evangélicos), já sabemos à muito: Para uma grande maioria dos católicos, Maria é mais importante que os Apóstolos, e, inclusivamente mais importante do que o próprio Cristo. Nos meus tempos de católico, várias vezes ouvi testemunhos neste sentido.

Gosto deste papa, embora por vezes ele tenha algumas afirmações que eu não compreendo. Além desta sobre Maria, também as das indulgências me apanharam de surpresa.

Maria, é sem dúvida uma personagem importante nos Evangelhos. Mas NÃO É a personagem central. Os Evangelhos são Cristocêntricos, e os católicos parece que se esquecem desta realidade e preferem fixar-se no acessório, ao invés do essencial.

Algumas expressões de fé do catolicismo são anacrónicas. Há demasiadas ritualizações vazias de sentido nas Missas, procissões com imagens, devoções aos santinhos, imagens de Maria que andam de casa em casa, novenas terços, etc. etc. etc. Sinceramente esperava que este papa fosse mais ousado e limpasse esses "resíduos" das expressões de fé católicas. Enganei-me. Também parece que não é desta que o celibato dos padres vai deixar de ter carácter obrigatório. É o manter de um Status Quo que já vem de longe, e que sobreviveu ao próprio CVII.

Sei que há católicos cultos a quem estas saídas papais causam desconforto. Enfim. São problemas que só podem ser resolvidos pela ICAR.

Aos Protestantes já basta o aparecimento de algumas seitas que desvirtuam o Evangelho, transformando-o numa paródia, e fazendo.o cair no descrédito.

Por vezes penso que o cristianismo não tem futuro. Enfim, desabafos...

JMC

Anónimo disse...

Antes de mais espero que tenham tido umas boas férias!
Comentando o que aqui foi postado, fico surpreendido mas pela positiva, compreendo que Maria seja mais importante que os Apóstolos e não encontro contradição com o facto de o Catolicismo ser Apostólico que o é e, o primado de Maria. Na minha interpretação essa importância já era implícita pelo dogma da imaculada Conceição (que eu saiba Maria é o único ser humano sem pecado concebido…), por outro lado o Cristianismo começa com o sim de Maria, sem o sim de Maria não haveria Jesus (pelo menos desta forma) e logo não haveria Apóstolos! Por tal Também considero Maria mais importante que os Apóstolos e, também mais importante que os Apóstolos é João Baptista, Jesus o afirma ao dizer “Do meio dos nascidos de mulher não surgiu ninguém maior do que João Batista.”
Para mim ser apostólico não é antagónico ao que o Papa Francisco afirma, são coisas diferentes que não se anulam mas se complementam, e simbolicamente Maria é também mãe dos apóstolos…

José Pinto

Anónimo disse...



O José Pinto citou:

“Do meio dos nascidos de mulher não surgiu ninguém maior do que João Batista.”

Logo, João Baptista é maior do que Maria, que também nasceu de mulher.

Jesus também foi nascido de mulher. Logo, João Baptista foi maior do que Jesus...

A lógica tem destas coisas...



Anónimo disse...

Respondeu com uma pergunta... "A Deus nada é impossível". Penso que é o que está lá escrito. Virgindade a todos os níveis.

Anónimo disse...

Caro anónimo das 8:38 PM

Tem razão a “lógica tem destas coisas” e quando escrevi o que escrevi já estava á espera de uma resposta semelhante. Maria futura mãe de Deus pela sua imaculada concepção está como que “á parte” do resto da criação logo não entra “na lógica” descrita; por sua vez e por “razoes obvias” Jesus tb não entra nessa lógica…


José Pinto

Anónimo disse...


José Pinto, a "imaculada concepção" não está propriamente nas Escrituras. Nem implicitamente, nem explicitamente. Resulta apenas de extrapolações teológicas, (muito tardias)que vão além do necessário.

Anónimo disse...

Talvez já esteja explicado pela escolática ou pelos padres da Igreja, mas eu nunca li. Se alguém souber...

Jesus, concebido sem pecado, tinha de nascer de uma mãe pura, daí, a imaculada. E a imaculada, não teria ela mesmo de nascer de uma mãe pura, para ser imaculada e assim sucessivamente?

Se há uma teoria que diz que todos os que viveram há mais de 800-900 anos são nossos ascendentes, toda a humanidade foi purificada pelo nascimento sem pecado de Jesus.

JS

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...