quarta-feira, 15 de maio de 2013

Tarântulas

Falando da importância do acolhimento nas estruturas da Igreja, Jorge Bergoglio diz que "numa diocese havia uma secretária a que os paroquianos chamavam a tarântula" (pág. 77 de "Papa Francisco, Conversas com Jorge Bergoglio", nas Paulinas). Eu também conheci uma. Só uma, não com esse nome, mas com o mesmo efeito dissuasor.

8 comentários:

Peter disse...

Nos meus tempos da missão também conheci algumas desses “Tarântulas”, algumas com uma capacidade de “envenenar” as relações humanas que ali coabitam de tal forma, que conseguem manter facilmente as “vítimas” totalmente prisioneiras das suas teias tão bem entrelaçadas nas suas intrigas e manipulações! Tais seres não olham a meios para controlar o território onde habitam, e até os “donos” da quinta acabam por ser enredados por tais fios”! Mas o caso que me marcou mais foi uma que era conhecida no meio como a “Mata Hari”, foram anos largos de reinado dessa rainha das teias mais inacreditáveis que até ao diabo fariam inveja, e o mais estranho é que o “dono” sabia das teias pelas imensas queixas que lhe chegavam e os conflitos que iam acontecendo nessa quinta e ainda assim a reconduziu anos a fio nesses lugares que na maior parte das vezes acabam por ter mais impacto e poder no meio que o próprio dono, não é por acaso que tais lugares sejam tão cobiçados pelos(as) que fizeram da igreja a meta das suas sedes de poder e protagonismo! Aqueles anos da quinta teriam dado para produzir um perfeito cenário e enredo para uma dessas novelas mais intrigantes que as tvs globos das paroquial_idades já produziram alguma vez! E o mais triste é que não se trata de ficção não, ali as dores, as lágrimas, as mortes adiadas na língua que deseja matar interiormente para afastar possíveis “rivais” até da própria Igreja, e as traições são moeda comum! Normalmente tais seres acabam um dia por sucumbir com o seu próprio veneno, e parece-me que o processo já começou, a constatar pelas mudanças de cadeiras ali naquela quinta! Realmente, há que reconhecer que muito do mal que a Igreja sofre chega-nos também da parte de muitos leigos, infelizmente!

Maria de Fátima disse...

É verdade caro Peter. Eu até estou convencida de que o Sr. está a falar da minha Paróquia.Mas se não está, na minha, o "filme" é exactamente como descreve.

Peter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Peter disse...

Maria de Fátima, não estou a reconhecer o seu nome naquele lugar onde o meu coração fez tal viagem agora, mas não me estranha nada os processos de clonagem, o mal é igual em todos os tempos e lugares, o que muda e mudou é a capacidade de refinar as formas com que se o executa! Sabe, o mais grave não é o erro, todos nós erramos, o mais grave é a maldade que não olha a meios para atingir os fins que citei! E aquilo que mais dói é saber que, (muitos(as)s que conheci eram do melhor e do mais qualificado e humanizado que a Igreja já teve nas suas fileiras como leigos) e se afastaram dela por causa das injustiças e a falta de coragem dos responsáveis em assumir e repor a verdade! Pois… eu sei, isso tem um preço, ó se tem, o Amor tem um preço muito elevado, e eu que o diga, quase fiquei na mendicidade de pão por ter feito frente a esses caminhos da mentira e da injustiça! Mas antes uma sopa regada com lágrimas mas cheia desse sabor a liberdade e a verdade, do que toda uma vida gasta numa dessas “quintas” com todas as comodidades, mas cheia de noites mal dormidas de quem sabe que terá que dar contas do rebanho que um dia lhe foi entregue e pelo qual, usando as palavras de um antigo companheiro de missão: “não quero nem estou em idade nem tempo para fazer sangue”…! Pobre alma que ainda não entendeu que só fomos e estamos salvos por causa do sangue derramado por Jesus…!

Maria de Fátima, que mais dizer-lhe, na verdade, em muitos desses quintais, quem tem as “chaves” não é o “pastor” mas tais “tarântulas” que circulam ali agitadas com as suas peles de ovelha! Antes fossem lobos, porque esses, a gente sente-lhe a presença e os passos bem nítidos! A Maria de Fátima já viu alguma vez a tarântula a fazer algum ruído quando se aproxima das vítimas! Não se entristeça com a dureza das minhas palavras, com tais ambientes já não estamos em tempo de “palmadinhas nas costas”, o nosso combate é um combate de vida e de morte em defesa do mais sagrado que existe em nós, porque o inimigo é o MAL, é contra ele que lutamos, não contra pessoas que precisam como nós da mesma misericórdia!

Saudações

Anónimo disse...

Disse o nosso querido Bento xvi (rezem também por ele), que o principal inimigo está dentro. Concordo 100%. tanto na minha vida como na vida da Igreja. Se formos puros por dentro somos invencíveis - no fundo porque já estamos na presença do Senhor. O pior é quando nos tornamos cegos e queremos ' purificar' os outros usando não a Palavra do Senhor mas recorrendo às artimanhas do pai da mentira. Não reparamos então que já nós transformamos em mais uma tarântula ....tenho mesmo medo daqueles que se consideram imaculados. Os outros mesmo fazendo safadezas mas com uma vontade de sair dessa lama, são tão só aqueles que já perceberam o caminho. Quando era mais novo não percebia muito bem porque ouvia tantas vezes dizer que o pior pecado é o do orgulho e da soberba...hoje percebo tão bem..
Jacome

Peter disse...

Caro Jacome, atente ao final do meu 2º comentário: porque o inimigo é o MAL, é contra ele que lutamos, não contra pessoas que precisam como nós da mesma misericórdia!…ele resume aquilo que queria dizer nas duas partilhas (comentários) de factos reais, que é uma coisa totalmente diferente de uma qualquer espécie de julgamento na praça pública, porque se fosse esse o objectivo, personalizava e identificava os “alvos” percebe! A nossa condição de pecadores: “…não há um justo, nem um sequer.” Rm 3,10, não é de forma nenhuma obstáculo para a correcção mútua e a crítica que procura também na partilha alertar e aprender com as coisas que nada tem a ver com a vida cristã! E olhe que infelizmente (antes o Jacome tivesse certo), nem todos têm essa “vontade de sair dessa lama”, antes pelo contrário, como se sentem impunes e julgam-se apoiados pelos responsáveis que, ou porque desejam manter a situação mesmo estando conscientes da realidade e dos resultados, (e olhe que não é porque não sabem, porque não foram poucos os conflitos abertos e as queixas…não sejamos inocentes) ou porque se calhar foram mesmo manipulados, a verdade é que tal gente persiste anos a fio nesses lugares arrastadas e arrastando outros nessa vaga demoníaca sem que alguém os pare nesses caminhos que nada mais fazem do que destruir vidas e por vezes comunidades inteiras! Ainda tem algumas dúvidas disso!?!

Anónimo disse...

Caro Peter, não tenho nenhuma duvida. Sem também querer estar a julgar ninguém em concreto, as tarantulas deixam-me desorientado, pois apesar de sabermos da vontade do Pai em salvar todos e da natureza humana ser algo bipolar, há determinado tipo de gente (com quem todos já teremos tido encontros mais ou menos directos)decidida e irredutivelmente polarizada para um dos lados , que parece ter sido enxertado de 'corno' algures à nascença ou coisa que o valha, pois transmitem a sensação de estarem impregnadas de maldade. E isso deixa-nos desorientados pois abala aquela convicção de que apesar de tudo, algures, debaixo das capas de maldade marcadas pela vida, às vezes bem dificil, estará sempre uma réstia de bondade....e tudo, infelizmente, parece contradizer isso com certas pessoas. Resta-nos então a esperança de que a misericordia Divina é infinita....e que só a vontade indómita do proprio de contrariar a 'Vontade' de Deus o afastará Dele. Daí que eu considere que o inferno não é um julgamento mas antes uma escolha daquele que rejeita e repele a presença de Deus...(já não tem muito a ver com a conversa...)
Saudações
Jacome

Maria de Fátima disse...

Caro Peter é exactamente como diz. Depois do seu penúltimo comentário fiquei até com impressão que me conhece. Mas será mera coincidência com certeza ... E, sim, eu também costumo dizer que, apesar de tudo (tenho combatido o bom combate e guardado a minha fé), ainda vou tendo dinheiro para um café (e alguma sopa).E é como diz, liberdade e verdade têm um grande sabor e permitem-nos boas noites de sono.

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...