sexta-feira, 17 de maio de 2013

"Nossa Senhora nega ter dado ajuda na sétima avaliação"


No "Inimigo Público" de hoje, na sequência da afirmação infeliz do Presidente da República.

7 comentários:

maria disse...

:)

Anónimo disse...

Quando um qualquer líder político muçulmano lá invoca o deus islâmico, os média babam-se de respeito, admiração e até bajulação, mas quando é um cristão a invocar Deus ou um santo é o caraças.

Anónimo disse...

Lá isso é verdade. Basta ver o tom jocoso que os jornalistas apresentaram as reportagens acerca da matéria. Por isso é que a europa está como está...

Anónimo disse...

Transformar uma política de teor altamente ideológico numa ficção teológica (= temos o abençoado governo dos pastorinhos da Troika e um dia destes o próximo Conselho de Estado é na Cova da Iria por sugestão de Maria Cavaco Silva)É COMPLETAMENTE I-NA-CEI-TÁ-VEL para qualquer português democrata, seja católico, agnóstico ou ateu. Ponto um. Ponto dois : bem pode o Professor Marcelo vir desculpabilizar o Presidente da Repúblico ("Ah ele é católico, é natural...") : não colhe. Depois o mesmo Professor Marcelo queixa-se, como ontem, de que a Direita se demite a propósito do combate cultural no campo das ideias (a propósito da adopção de crianças por parte de casais do mesmo sexo). Pois demite-se. Há muito tempo que se demitiu. E se não se demitiisse, a Direita condenaria vigorosamente Cavaco Silva por esta intromissão da religião no discurso da política. E o primeiro político de Direita que deveria tê-lo feito é o próprio Professor Marcelo Rebelo de Sousa para dar o exemplo.

Anónimo disse...

Nem o Américo Thomaz, nos seus momentos mais delirantes, nem a inefável Manuel Eanes no tempo do clericalismo de esquerda (contra a vida privada de Sá Carneiro), tiverem este "à-vontade" com o divino com que o casal Cavaco Silva surpreendeu o país.

Anónimo disse...

Será que os parvalhões não entendem uma piada? Só o Obama é que pode brincar com os santos e a política e ser aplaudido de pé (se calhar pelos velhacos que vêm para aqui capitular as suas letras)?

Anónimo disse...

Anónimo das 9:15 AM :
"Parvalhões" e "velhacos" para qualilificar quem discorda de nós "só mesmo nos países islâmico" como você próprio diz.

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...