sexta-feira, 3 de maio de 2013

Lamentações de Rahner e de outros

Lido num livro de Carlos González Vallés:

"Karl Rahner disse pouco antes de morrer que lamentava duas coisas em sua vida; não ter amado mais as pessoas e não ter tido mais audácia com as hierarquias da Igreja. Não quero morrer sem dizer realmente o que penso".

21 comentários:

Peter disse...

Também eu “não quero morrer sem dizer realmente o que penso", e quando chegar aquele momento do entardecer da vida, questionar-me: afinal o que vivi eu, que pena, porque é que não fiz isto e aquilo…! E aqui ando eu, acolhido por alguns, considerado desviado pobre e ignorante por outros, mas bem consciente que serei sempre um desses peregrinos do caminho a que ele chama de “cristianismo anónimo” sabendo já de antemão que nessa busca do verdadeiro rosto de Deus não faço outra coisa do que “chocar com o mistério” e também alguns meus irmãos na Fé… risos…!

Alguém lá mais abaixo afirmava que eu adoptara uma “cristologia ascendente” insinuando-me dentro das aragens da teologia da libertação..risos… (e eu que só agora estou a saborear desse pão… confesso que às vezes é bem duro de mastigar!risos…) mas esse irmão anónimo até não estava nada longe de entender a direcção que levo, pois revejo-me muito nessa forma de olhar-pensar-entender Deus como faz Karl Rahner na sua teologia "transcendental" que busca o entendimento desse mesmo mistério a partir das coisas de baixo, o Ser e a Vida na busca do significados das coisas, para então chegar ao Alto e bater incessantemente à porta na esperança de receber alguma revelação! Como aquele Jacob que se atreveu a lutar com próprio Deus também não desisto… e como ele também vou dizendo a cada dia: “Não te deixarei partir enquanto não me abençoares.” (Gen 39,27) nem que tenha que andar por ai feito coxo, o tal andar nas “ignorâncias” dos saberes humanos sobre o mistério!

Anónimo disse...

«Karl Rahner na sua teologia "transcendental" que busca o entendimento desse mesmo mistério a partir das coisas de baixo». Ui. Pensava que essa era a sua teologia categorial e que a transcendental parte das coisas de cima. Cada pensamento meu, cada bestialidade. Ainda bem que há pessoas cultíssimas para me esclarecerem com a sua humilde sabedoria "dos saberes humanos sobre o mistério". Deo gratias!

Anónimo disse...

Vida e Ser são coisas do alto!!!

A compreensão do mistério nas duas, isso sim, só pode vir de Deus, do alto! Agora não sabia que a teologia transcendental não partia do mistério da vida e do ser! E que não era a partir da compreensão destes dois mistérios que depois o homem esperava de Deus uma revelação que acontecia e acontece na escuta de Deus! O seu olhar primeiro é em direcção às coisas, não ao mistério, só a partir da compreensão das coisas ele pode adentrar-se mais nesse mistério que lhe abre a Revelação!

Peter

Anónimo disse...

A visão transcendental “parte das coisas de cima” sim, mas apoindo-se e com base na contemplação e na busca da compreensão das coisas de baixo que é feita pelo homem, não pelas coisas do alto, sobretudo esses dois pilares, a Vida e o Ser que são também caminhos para Deus se revelar!

Peter

Anónimo disse...

Quem busca entender o mistério é quem está em “baixo”, aquele que procura respostas claras para as suas questões sobre o Ser e a Vida, não é quem está no “alto”.., a busca parte sempre do homem a partir dessas coisas concretas, na espera da manifestação de Deus, e este pode responder-lhe ou não… sem essa receptividade (conhece os a priori de Rahner certamente!) e procura feita ao nível humano, o mistério só se revela se houver receptividade e procura de baixo, ainda que Ele procure e deseje sempre revelar-se ao Homem!

Peter

Peter disse...

Deo gratias que o homem e Deus se buscam mutuamente, e que não há teologia seja ela qual for que possa nos desviar de uma realidade que vale por todas as visões transcendentais! Foi a Carne e o Sangue que nos salvou… nem sequer foi a Palavra, porque a carne substituiu o Verbo na Encarnação, algo que é insuportável para aqueles que só acolhem uma religião místico-espiritual, e rejeitam o espiritualidade do corpo (a nossa humanidade já redimida), que nos faz caminhar com Jesus (já não como servos mas como amigos) aqui lado-a-lado, na Terra, onde já não há transcendência inalcançáveis, esses “lugares” que servem muito bem aos fins daqueles que desejam continuar a manter esse fosso onde só se pode saltar para o outro lado com mediações, essas pontes que sobem e descem consoante o juízo e a vontade e visão de Deus de alguns que ainda não deram os alto para a Humanidade de Jesus,… usam a Palavra mas nem ainda assim escapam de estar contra ela nessa espiritualidade que castra, como se Deus fosse só Espírito! Ainda há a quem interesse imenso a manutenção do “mistério”… aqui expresso em todo o seu esplendor nessa tal “humilde sabedoria "dos saberes humanos sobre o mistério"! Ai Senhor, tanta humildades anda por aí!

Anónimo disse...

Que g'anda noia. Alguém abre a boca e lá vem uma avalanche de comentários auto-justificativos. Solidarizo-me com o autor deste blog: ele foi, de facto, sequestrado por quem quer vir para aqui atacar, sibilinamente, a Igreja.

Anónimo disse...

O maior bburro é o que quer parecer sábio e arrasta-se em desculpas esfarrapadas para não ter que reconhecer a sua estupidez.

Anónimo disse...

bburro? o que é isso?

Anónimo disse...

Bburro? Foi um erro de tipografia, mas expressa, por acaso, justamente o que penso: um burro com um "b" ao quadrado.

Anónimo disse...

Disse o ignorante: «como faz Karl Rahner na sua teologia "transcendental" que busca o entendimento desse mesmo mistério a partir das coisas de baixo».

Ah. Afinal a "teologia transcendental" não é uma qualquer "teologia transcendental", mas a "teologia transcendental" de "Karl Rahner".

Mas depois vem, numa avalancha de verborreia, a tentativa de dissociar tal "teologia transcendental" de "Karl Rahner" (apenas disfarçada pela referência, totalmente desconexa e fora de contexto, aos "a priori" de Rahner).

Mas isto é simples de dirimir: uma única citação de Rahner a dizer que a "teologia transcendental" é "partir das coisas de baixo". Claro que este desafio será ignorado ou, mais provavelmente, ridicularizado por quem não gosta de "contar berlindes". Mas esperemos.

Anónimo disse...

@ anónimo das 9:27 PM.

O melhor que há a fazer com o "Peter" é fazer o que faz o autor deste blog: ignorá-lo pura e simplesmente. Talvez desse modo este blog deixe de ser o deserto de participantes desde que o mesmo por cá começou a aparecer. Experimente: ignore-o.

Peter disse...

“…por quem quer vir para aqui atacar, sibilinamente, a Igreja.”

Não podia ser mais claro para nos orientar para percebermos a razão porque aqui se atirou de cabeça nesse seu berro, não o coloco com 3 rrr para não ter que levá-lo aos lugares onde se sossegam e recolhem tais criaturas berrantes! Eu sei que a sua passagem vem de outro post posterior, mas como ali contra factos não há argumentos, toca de vir para aqui com histerismos intelectuais feito vitima de algum complot contra a igreja!

Desculpas!!! Mas eu preciso desculpar-me de algo que é tão óbvio!!!! Mas ainda tem alguma dúvida que o “transcendente” é apenas um conceito muito humano, ou ainda não sabe que já foi tudo resumido e desvendado em Jesus.. Nele está tudo revelado, nada há mais para revelar! Agora outra coisa é a nossa mente e coração alcançar tal… os discípulos caminhavam com Ele e nem sequer tinham compreendido ainda nada, sobre as coisas do Pai que é o transcendente total e único… acha que preciso de andar a babar-me pelas teologias erguendo algum papel enrolado na mão como se estivesse convencido que ainda falta alguma coisa por revelar e eu é que vou revelar tais mistérios que só podem existir na cabeça de quem ainda não acolheu Jesus como Filho de Deus .. Ele que é o próprio Deus… o Eterno…
Transcender o quê?!!! Para quê?!!! A criatura dos berros fica feliz se concordar consigo que afinal errei e que sim, existe uma teologia transcendente e vou ter que lhe escrever aqui a definição hermética da palavra! Acha que tenho alguma vocação para andar aqui com um funil na cabeça! Mas ó criatura tão cheio de inteligência, agora vou perder o meu tempo a fazer uma viagem ao outro lado trascendental (nessa terra de ninguém ou só de alguns eleitos) para estar com o Pai… realmente ainda não percebeu que Nele tudo está revelado.. e quem vê a Jesus vê o Pai.. nem entram nem deixam entrar… gente infame…! Ai de quem lhes toque nos alicerces desse edifício da torre de babel teológica que construíram… foi só um soprozinho naquela questão do Apocalipse e de Cordeiro imolado e eles logo a enviar os exércitos da guarda pretoriana antes que o “burro” resolvesse soprar a palavra Predestinação.. foi por um triz e lá respiraram de alivio… mas esta gente não se enxerga… como se todos fossemos seres de 4 patas!!


..eu não disse.. aí vem a tropa de reforço... muito medo tem esta gente...

Peter disse...

...como não podia deixar de faltar para que todos fiquem na foto chega o nosso personagem do "fotógrafo"... ele bem pede para ignorar mas cai sempre na casca da banana da sua lábia infantil.. ó mãe eu não fui.. eu não vi nada.. mas aquele sorriso de escarnio a ficar-lhe tão bem tarí logo tal figura agora feito porta voz dos desejos do Bloguista!

A outra personagem hoje deixou as matemáticas 3.2.1. e saltita nos berlindes da trascendencias...

Deo gratias, porque o céu é dos pobres de espírito...


Peter disse...

Deserto... olha, o fotógrafo não sabe consultar um simpeles contador de visitas! hahaha

Peter disse...

Como se o blog se sustentasse com os meus ou os seus comentários.. a presunção já chegou aí!???

Anónimo disse...

"a presunção já chegou aí!???". Não Peter, mas a sua sim: julga que tudo o que quem por cá passa e o autor deste blog escreve dirige-se a si.

Anónimo disse...

Peter, o que disse o anónimo das 9:38 PM é relevante:

Mas isto é simples de dirimir: uma única citação de Rahner a dizer que a "teologia transcendental" é "partir das coisas de baixo". Claro que este desafio será ignorado ou, mais provavelmente, ridicularizado por quem não gosta de "contar berlindes". Mas esperemos.

Dar-nos-á o privilégio de esclarecer isto? Dar-nos-á a alegria de uma citação de Rahner, que o Peter parece conhecer tão bem, a mostrar que a teologia transcendental é a partir das coisas de baixo?

Esperemos.

Anónimo disse...

Peter, se está tão seguro da sua posição, que tal se perguntar ao autor deste blog o que ele pensa da sua presença pelo mesmo que, pelo que tenho visto, apenas tem afastado diversas pessoas que, com muita mais seriedade e conhecimento, por cá andavam.

Peter disse...

Anónimo (9:24 PM) Quase me senti tentado a não responder-lhe, pois parece-me que o seu desejo é afunilar a questão nos “conceitos” e não naquilo que lhe dá a forma, mas tudo bem! È claro que reduzindo a questão ao terreno etimológico da palavra “transcendente” tem a ver com algo elevado, superior, algo que pode estar próximo ou muito distante de determinado lugar ou situação. No campo da filosofia é algo que está fora do alcance da acção ou do conhecimento, segundo certos filósofos, até o real é transcendente ao pensamento

Quando me tentava situar, ao abordar Rahner, referia-me à RELAÇÃO e não a Espaço-Lugar-Etimologia:

“Visto que na encarnação o Logos cria aceitando e aceita manifestando a si mesmo, prevalece também aqui e em nível mais radical e especificamente único o axioma de toda a relação entre Deus e a criatura, a saber, que a vizinhança e a distância, o estar à disposição e a autonomia da criatura crescem em medida igual e não em medida inversa. Por isso, Cristo é homem no modo mais radical e sua humanidade é mais autónoma, a mais livre, não apesar, mas porque é humanidade aceita e colocada como auto-manifestação de Deus” (RAHNER, K. Teologia dell’incarnazione, em Saggi di cristologia e di mariologia, Paoline,)

… estas duas relações “crescem em medida igual” que é o que “valida” o movimento do cristianismo, aquele que (busca-faz-segue) caminho com Deus já aqui na possibilidade que nos abriu na Encarnação) …!“A encarnação de Deus é, por isso, o caso irrepetivelmente supremo da realização essencial da realidade humana. [...] O homem é na medida em que se entrega”. ( (RAHNER, K. Teologia e antropologia, p. 66).)

Aquilo que vocês fazem é criar-manter um fosso colocando ESCADAS entre o homem e Deus aumentando a distância, a inacessibilidade e o MISTÉRIO ainda mais… mas a verdade é que nem um nem outro fazem caminho se ambos não estiverem em sintonia e lado a lado… embora entre Deus e o homem exista sempre aquilo que Rahner chama de ““abismo de uma liberdade”( RAHNER, K. Los cristianos anónimos. Madrid, 1969, p. 537.)!

Simplificando a questão, nem o homem tem que “subir ao alto”, nem “Deus tem que baixar”… eles devem é se ENCONTRAR e isso já aconteceu em Jesus onde tudo se resume e já foi revelado! E quando vamos penetrando cada vez mais na Revelação, é aqui que vamos descobrindo que a Verdade nada tem de mistério porque Aquele que se revelou no Filho é a própria Verdade que se revela também! “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.“ (João 14,6)
Então, se já temos Jesus entre nós, “Jesus Cristo, para a fé cristã, é o portador absoluto da salvação” (Cf. RAHNER, K. Curso fundamental da fé. São Paulo: Paulus, 1989, p. 233)… porquê todas essas viagens!!!!

Já era tempo de todos nos tornarmos mais adultos na Fé e aceitarmos a nossa humanidade totalmente e não ficarmos apenas por uma espiritualidade desencarnada, mística e distante: “Na aceitação de si mesmo o homem aceita a Cristo como consumação absoluta e garantia do seu movimento anónimo em direcção a Deus através da graça”. (RAHNER, K. Los cristianos anonimos. Madrid, 1969, p. 540.) .. assim todos consigamos nos abrir definitivamente à Graça!

Peter disse...

Anónimo (12:06 PM) só uma mente tão turva pode pensar assim! Mas alguém no seu juízo perfeito pensaria que o administrador deste espaço iria colocar os seus objectivos em “risco” por causa de um comentador!!! Não o imaginava a pensar-subestimar assim o Jorge! Realmente não lembrava a ninguém impor cotas de participação em função das seriedades e conhecimentos!!! Tenha ao menos um pingo de honestidade … abra o jogo de uma vez por todas… avossa vontade e objectivos é afastar-me daqui… a minha presença é inquietante e incomodo-vos muito não é…! E anda esta gente a dizer que é cristão…! Trate-se!

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...