terça-feira, 23 de abril de 2013

Denúncias de Catalina Pestana deram em nada


No jornal "i" de hoje. Afinal, o que é que ela sabia?

24 comentários:

Anónimo disse...

«Finally, dear sons, exercising for your part the office of Christ, Head and Shepherd, while united with the Bishop and subject to him, strive to bring the faithful together into one family, so that you may lead them to God the Father through Christ in the Holy Spirit».

Obrigado irmão Papa Francisco!

Anónimo disse...

«Dear Brothers, I would like to end my address by expressing my thanks to you all and by encouraging you in your valuable work».


Obrigado irmão Papa Francisco!

Jorge Pires Ferreira disse...

Não percebi. Parece que alguém quer que o Papa esteja ao seu (desse alguém) serviço. Terá medo de pensar por si próprio? A cabeça - esse dom que Deus só deu a alguns.

Anónimo disse...

Dialogar o catolicismo, com base na imprensa portuguesa, é conceptualmente um erro.Gostava que o blogger, tomasse outros riscos, mas vejo-o demasiado confortável, na cadeira que o establishment, lhe arranjou. Tenho pena!

Anónimo disse...

Bom, parece que a torrente dos sonhos e visões vai abrandando lentamente, ainda que povoadas por febres inconstantes a verificar pelos picos de glossolalia que tais suores anglo-saxões provocam! Receite-se ao irmão enfermo uma tisana nessa infusão de camomila, sempre ajudará alguma coisa para acalmar e reduzir a ansiedade.

Peter

Jorge Pires Ferreira disse...

Caro anónimo das 2H32,

o seu comentário é pertinente, mas receio não ter alcançado o que pretende dizer.

Eu tb gostava de assumir outros riscos e não estou sentado em nenhuma cadeira do establishment.

Mas como sabe que não estou a assumir riscos? O blogue é só, sei lá, 5, 10 por cento do que penso e faço.

Anónimo disse...

Um blog,tal como qualquer outro meio de comunicação, projecta o espírito do seu criador.É assim a vida!

Jorge Pires Ferreira disse...

Pior seria se fosse o contrário, sr. Tiago. De la Palice.

Anónimo disse...

E o olhar daqueles que o visitam, expresso nas direcções indicadas, permite aferir claramente os horizontes que tais “visitantes” desejariam percorrer e contemplar! Assim não é só a vida, ela é feita de mais caminhos na riqueza sa diversidade que ela imprime em cada ser!

Peter

Anónimo disse...

«Pensar encontrar Jesus fora da Igreja é uma "dicotomia absurda", considerou hoje o Papa Francisco»

Obrigado irmão Papa Francisco!

Anónimo disse...

Ó Jorge, Jorge... quando o Peter cita o Papa, é um daqueles abraços; quando alguém cita o Papa a apontar que as posições desse Peter são o ridículo do que é ser cristão, lá se está a ser incapaz de pensar. Pensava-o mais honesto e coerente. Estava enganado.

Anónimo disse...

«O mundialmente reconhecido físico britânico Stephen Hawking afirmou, recentemente, durante uma conferência, no Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena, que "O Universo não precisa de Deus para existir."».

Dar uma resposta a estas afirmações é que seriam um bom serviço.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Anónimo (4:41 PM) esqueceu-se de completar-incluir este pensamento que o Papa tb refere nesse texto:

"A Identidade cristã não é um bilhete de identidade: a identidade cristã é uma parte da Igreja, a Igreja Matriz. Isto dá-nos Jesus".

Bom, ntre a PARTE e o TODO...
…pelo menos não use tanto a tesoura a fazer lembrar o tal padrezito do filme do “Cinema Paraíso” que estava sempre a dizer: “Corta..corta” quando chegava o melhor momento…

Peter

Anónimo disse...

Ainda bem que é Jesus que nos dá a identidade senão toda a gente vestia e pensava igual… mas ó Senhor, está cada vez mais difícil ser uma parte dessa Igreja, porque a constatar por aqui, ela está mesmo a abundar de meninos queixinhas e birrentos que voltam a bater os pés naquelas crises visionárias até que lhes façam as vontades .. outros não aguentaram e foram-se levando a chantagem emocional com eles nos lamentos saudosos de gente de bem… Acho que seria bom para descongestionar o trânsito virar a horizonte para o britânico Stephen Hawking “.. realmente o homem perdeu uma boa oportunidade, não em afirmar que: "O Universo não precisa de Deus para existir."». mas em não ter dito também que O Universo onde habitam tais meninos não precisa mesmo de Deus para existir, porque nem Ele já suporta tais infantilidades."». Arre que já não há paciência para aturar tais birras!

Peter

Anónimo disse...

Mea culpa, não tinha pensado, ai esta cabeça, realmente não lembrava a ninguém fazer aqui uma mistura tão explosiva com a Catalina e Dom Óscar Romero! Agora percebo a pirotecnia e a tentação de colocar toda a gente a olhar para o Universo! Pudera, naquela imensidão, tudo se diluí facilmente!

Peter

Anónimo disse...

O Anónimo que citou Hawking tocou num ponto que me é caro.

Enquanto Cristã e Católica o mais que ouço quando me afirmo crente é precisamente o carácter "desnecessário" de Deus face ao que a Ciência nos apresenta hoje.

Além disso, mesmo a própria Ética começa a ser explicada (ou parecer ser) em termos meramente naturalistas e neurobiológicos.

Sinto falta, confesso, de uma apologética orientada a estas questões.

Faço sempre esta pergunta a quem me contradiz enquanto católica e o "atraso" da igreja: se amanhã as mulheres fossem ordenadas, os padres casados, os homossexuais plenamente aceites, passarias a ser católico?

A maioria responde: Não, Deus não existe. Cristo, não sei, não há provas.

Desculpem o desabafo, mas lidando diariamente com jovens, a maioria muito indiferente e até agressiva face à religião, deu-me para isto...

E estas coisas da Sra. Catalina e o fim que têm, ou seja pouco claro, não ajudam.

Maria João Brás

Jorge Pires Ferreira disse...

Ao anónimo que pela primeira vez hoje aqui falou de Hawking, sugiro que leia o que ele link lhe oferece (cá no blogue):

http://tribodejacob.blogspot.pt/search/label/Stephen%20Hawking

se quiser saber o que eu penso em particular, leia

http://tribodejacob.blogspot.pt/2010/09/hawking-um-nada-que-e-tudo.html

Evidentemente, é novo por este lado e só isso lhe desculpa alguma ignorância com aparência de má vontade em comentários anteriores - isto no caso de o anónimo ser o mesmo. Se não for este último comentário não faz sentido. Mas é o que dá dialogar com anónimos.

Anónimo disse...

Maria João Brás, quando li o seu comentário, quase me senti tentado a responder imediatamente, mas depois de uma jornada aqui tão agitada, senti que seria melhor ir silenciar e orar por tudo o que aqui foi dito, bom e mau e também sobre o que disse da sua relação-experiencia na 1ª pessoa que a leva a expressar tal preocupação partilhada no tema dos jovens!

Não vou alongar-me, apenas quero partilhar-lhe que trabalhei alguns anos com jovens, sobretudo no caminho da Fé (alguns nem iam à Igreja e nem pertenciam aos nosso jovens mas não deixavam de me procurar e sair e participar até em fins de semana fora em programas comigo e procuravam-me muito ao ponto do liceu que não havia as portas á Igreja me pedir tantas vezes ajuda)).. Maria João, eu entendo o seu estado de espírito, também fui confrontado muitas vezes com esses momentos de agressividade e indiferença que partilhou e que na sua maioria, pelas experiências vividas com eles (24 horas sob 24horas) afinal não são aquilo que nos parecem tantas vezes, embora haja tb muito desse fermento nos seus corações!

As raízes de tais comportamentos e expressões são muito mais profundas e elas tem a ver com razões ligadas às relações, comportamentos-testemunhos e diálogos humanos do que as questões que rodam à volta da existência de Deus! Se os escutou, escute ainda mais e vai verq eu descobrirá novas dimensões neles, e nunca esqueça que aqueles que os guiam e são ponto de referência são o motor onde se geram todas essas forças de atracção ou repulsa nesse Deus que eles projectam muito em quem os lidera e guia.. deixo-lhe aqui apenas uma dessas pistas para ver onde muitas vezes nascem essas sementes de revolta que geram essas “falsas” negações, (nem imagina o que eles buscam a Deus, embora nos ocultem tanto isso muitas vezes para se afirmarem no grupo e também muita insegurança.. e outros..!) .. infelizmente estes episódios entre outros tantos, são o terreno onde nascem essas violências espirituais interiores dos jovens:

http://blogs.periodistadigital.com/teologia-sin-censura.php/2013/03/19/la-religion-contra-el-evangelio

O problema é o TESTEMUNHO… o resto são tudo fugas e desculpas de ambos os lados…! E olhe que não me excluo desses, não foram poucos os abanões que levei deles.. com eles aprendi a conhecer melhor esse Jesus que eles amam, mesmo os que dizem não acreditar em nada, não tenho duvidas!

Saudações fraternas!

Peter

Anónimo disse...

Correcção :

…e procuravam-me muito, ao ponto do liceu, que não abria as portas à Igreja me contactar a pedir tantas vezes ajuda)

Peter

Anónimo disse...

Nos fins-de-semana fora, sobretudo em acampamentos organizados pela catequese que eu abri aos outros que não frequentavam, (muitas vezes contra a vontade do pároco), eles transformavam-se completamente, posso dizer-lhe até que o comportamento deles ali era muito mais fiel ao testemunho cristão do que o de muitos jovens que frequentavam as nossas catequeses… agora quanto a irem à Igreja, nem imagina o que eu ouvia como respostas.. melhor parar aqui! Mas graças a Deus que muitos entraram e fazem caminho ainda hoje com Cristo, isso é o que importa no meio de tudo, a relação e amizade entre eles e Deus era o que mais me preocupava em cultivar neles! Digo-lhe até, não há falta de vocações ao contrário do que por ai se diz, há sim é muita falta de testemunho que provoque a aproximação e dar o salto....!

Peter

Anónimo disse...

Sr. Jorge, obrigado pelos links e pelos textos que aconselhou! Gostei particularmente do seu (o outro lerei assim que puder), é mesmo desse espírito que precisamos.

Realmente por vezes com cientista o argumento é de simples autoridade: "Se eu sou capaz do cálculo mais complexo, conheço mais conceitos,logo também sei mais sobre religião, deus e, o que por vezes me choca, filosofia!" Continuam a pedir-nos fé, mas neles, sem sequer nos acharem dignos da sua "revelação"

Obrigado, Peter, pelas suas palavras e testemunho. De facto, o meu convívio diário é noutro contexto. Acredito que libertos da pressão dos seus pares e de todos terem de pensar o mesmo, talvez se revelem mais tolerantes, dispostos até a conhecer a Igreja e as sua bênçãos.

No meu caso noto que aqueles que por acaso se mostram mais recetivos precisam de muita auto-estima para perseverarem na fé, e nessas idades muitas vez ela ainda se ainda se constrói.

Sabe que ainda sendo a maioria batizada, se acaso se fala nisso, fica no ar que foi uma teimosia a pedido de algum avô ou avó e a educação religiosa ficou por aí.

Ora como poderão os cristãos dialogar com os Hawkings deste mundo se aqueles que ainda vão tendo fé pouco a conhecem e pouco a desenvolvem?

Acredito que andei distraída, mas a forma como vi ser gozado um rapaz com uma t-shirt da jmj de Madrid, sabendo que tal já acontecera numa aula e começou com um reparo de gozo da professora, para mim foi a primeira vez que tive consciência da dificuldade de um jovem cristão e da má vontade de muitos...


Obrigado Sr. Jorge, Sr. Peter, a internet também serve para isto - sentirmo-nos apoiados e menos sós.

Maria João Brás

Anónimo disse...

È sempre bem vinda Maria João, nestes espaços também se faz acontecer Igreja.. e não olhe às derrocadas dos barros que por vezes acontecem aqui e noutros espaços, somos todos muito humanos, força e coragem, e desculpe o meu pobre testemunho cristão neste espaço, tento acertar o caminho com todo o meu coração, acredite, caminhemos então! Nem imagina a alegria quando recebemos um telefonema de um desses jovens que ajudámos a fazer caminho na amizade com Jesus, contando de si e da sua fidelidade ao Pai, isso vale por tudo… não desista deles, nunca, não existe melhor coração que o de um(a) jovem.. assim a Igreja saiba acolher, regar e guiar esses vasos ainda toscos e por moldar mas de ouro divino…!
Saudações fraternas!

Peter

José J.C. Serra disse...

ó jorge, meu caro amigo, quando é que te decides a proibir comentários anónimos. não há pachorra para os disparates e as acusações destes ratos de sacristia que acusam a coberto do anonimato. que cristãos tão pouco livres...

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...