domingo, 28 de abril de 2013

Bento Domingues: "Um país não é um convento"

Início no texto de Bento Domingues no "Público" de hoje:


A palavra reforma evoca muitas significações para além da mais corrente, isto é, a quantia - ora de fome, ora milionária - atribuída a pessoas aposentadas. A desejada reforma da Cúria vaticana é de outro género. Neste sentido, designa as medidas adoptadas para que uma instituição degradada volte à sua forma primordial. Nas épocas de decadência das Ordens Religiosas, por exemplo, a ideia de reforma era o sonho de um novo começo, através de um retorno à fonte do projecto inicial. Voltava-se às antigas observâncias, por vezes de forma anacrónica, mas com a intenção de encontrar o espírito fundacional. O regresso às primeiras expressões da pobreza era sempre a marca de uma reforma autêntica. Ao perderem o despertador da austeridade voluntária, as instituições religiosas fingiam ver na progressiva abundância dos seus bens, um sinal de bênção divina.

Na íntegra, aqui, amanhã.

2 comentários:

Anónimo disse...

Hoje já é Quarta e nada do texto. Protesto!

Jorge Pires Ferreira disse...

Tem razão. Protesto aceite. Já está.

http://tribodejacob.blogspot.pt/2013/05/bento-domingues-um-pais-nao-e-um.html

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...