sexta-feira, 29 de março de 2013

Quinta-feira normal

A mentira de que os discípulos de Jesus roubaram o corpo dele para a seguir proclamarem a ressurreição "divulgou-se entre os judeus até ao dia de hoje", diz Mateus (28,15).

E, de facto, o sequestro do corpo de Jesus continua, mas entre cristãos.

Ontem, Quinta-feira santa, o Papa lavou os pés a algumas jovens. "Foi a primeira vez que um pontífice lavou os pés de raparigas", diz o "Público". Admira-me a quantidade de coisas que o Papa Francisco já fez "pela primeira fez", não por serem  extraordinárias, mas serem comuns. Talvez ele banalize suficientemente o papado para se deixar de dizer "pela primeira vez" e se reparar mais como os atos deixam transparecer a normalidade do cristianismo. Des-sequestrar o corpo de Jesus Cristo.

2 comentários:

Anónimo disse...

Muitas dessas "primeiras" não o têm sido de facto. Mas que esperar da burrice dos nossos mídia?

Helena V. disse...

Nada de novo se diz ou pode dizer hoje da Igreja, que não esteja já relatado como presente entre os doze ou nas primeiras comunidades cristãs. Foi o risco que Deus quis correr ao encarnar. Curiosamente, somos nós, é a Igreja, que, por vezes sob formas muito criativas (e que chegam a ser patéticas), desencarna,"sequestra o corpo de Jesus". Gostei muito deste teu comentário, Jorge, e vou-te citar na expressão feliz da "normalidade do cristianismo". Obrigada.

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...