domingo, 17 de março de 2013

Adriano VII? Clemente XV? Não. Francisco

Referi aqui que o nome Francisco reconcilia jesuítas e franciscanos, pois foi Clemente XIV, de origem franciscana, o Papa que suprimiu os jesuítas. Ora ontem disse o Papa Francisco, mesmo no final do seguinte vídeo, que lhe sugeriram o nome Clemente XV, precisamente para vingar o Papa "rigoroso" do séc. XVIII.

2 comentários:

Anónimo disse...

No DN de hoje. Análise importante e imponente. Saliento a parte final que se aplicaria facilmente a alguns energumenos do Nós Somos Igreja.

Quanto ao Papa propriamente dito, o meu discreto ateísmo não me inspira grandes considerações. Em compensação, o ateísmo ruidoso de muitos não os impede de emitir palpites sucessivos acerca da matéria. Pelo menos em Portugal, os media trataram de ouvir avidamente as opiniões de gente sem qualquer vínculo ao catolicismo, o que faz o mesmo sentido que questionar um adepto dos Los Angeles Lakers sobre o momento do Sporting. Neste caso, o fã de basquetebol diria provavelmente não saber nada a propósito. Já os ateus militantes não só sabem imenso a propósito do Vaticano como insistem em partilhar a sabedoria connosco.

Padecendo de uma estranha maleita que os impede de viver em paz sem que o líder de uma fé a que se dizem radicalmente indiferentes concorde com eles, os ateus militantes receberam o Papa Francisco sob três perspectivas. A perspectiva simpática apreciou a circunstância de o homem vir do hemisfério sul (porquê?) e ter sido nomeado contra o "sistema" (apesar de ter sido o "sistema" a nomeá-lo). A perspectiva hesitante lamenta que o homem não defenda o casamento homossexual, o aborto, a eutanásia e, afinal, cada imperativo dos bem pensantes. A perspectiva desconfiada descobriu (ainda que, conforme se comprova no site do Bloco de Esquerda, à custa de manipulações fotográficas) a afinidade entre o sr. Bergoglio e a antiga ditadura argentina. Enquanto os cardeais não designarem um herege para pastorear os crentes, o catolicismo não se redime.

Jorge Pires Ferreira disse...

Obrigado. Também li essa opinião de Alberto Gonçalves e estava precisamente para a pôr no meu blogue.

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...