sábado, 16 de fevereiro de 2013

Tolentino sobre Ruy Belo


Na "Ler" 121, de fevereiro de 2013. Um texto de Tolentino Mendonça. Eu gosto do que Tolentino Mendonça escreve e gosto de Ruy Belo, embora conheça pouco deste poeta. Gastei umas tardes, maravilhado, a ouvir "A margem da alegria", sobre Inês de Castro, porque me ofereceram o poema em CD (duplo). Corria o ano de 2004 e desde então deu para perceber, eu, porque outros já perceberam há muito, que Ruy Belo está no lote dos maiores poetas portugueses do séc. XX (reparei agora que este blogue tem um poema Ruy Belo).

Como tem sido habitual nos últimos tempos, este texto vai gerar mais comentários negativos sobre Tolentino Mendonça. É pena. Principalmente porque anónimos. Mas já vou estando habituado cá por estes lados. É Tolentino, é Bento, é Anselmo, é Opus, é... Ninguém gera consensos absolutos, claro está. Mas eu desejaria que ao menos não se gerasse maledicência gratuita. Crítica, com certeza, mas com rosto.

6 comentários:

Anónimo disse...

Um texto maravilhoso do Tolentino Mendonça. De facto. Comovi-me profundamente. Não diz nada de relevante, mas fez-me chorar copiosamente. Sobretudo pela vacuidade vaporosa das suas opiniões arraçadas de um diletantismo pindérico que lhe nutrem os que, de resto, só cospem no que ele é: um sacerdote da Igreja de Cristo. Manda uns filetes sem dizer nada e, assim, pode permanecer o mito.

Anónimo disse...

Caro Anónimo das 6:49,

estou consigo! E o motivo é a

enorme naturalidade desse padre/poeta

Anónimo disse...


A cobardia é uma das coisas mais baixas. Estes ataques dizem muito dos seus autores e nada do P.Tolentino. E estou à vontade, discordo de Tolentino Mendonça em muitas coisas e a sua tese de doutoramento suscitou-me grandes reservas.

Saudações,
Rui Jardim

Anónimo disse...

Cobardia? Hehehehe. Essa, vinda de alguém que assina com um nome falso, dá-me vontade de rir.

Anónimo disse...

Tenho o maior apreço pelo P. Tolentino. Aprendo muito com ele. Mas a Igreja é um ninho de víboras. Não sei quando é que se poderão juntar lobos com ovelhas.

Unknown disse...

Não deveria ser possível fazer comentários anónimos em blogs. Todos temos direito às nossas opiniões mas o pouco cuidado das notas apresentadas aqui, não tendo o cuidado de ser cuidadosamente justificadas, e tendo sido escritas marcadas por paixões desmedidas, comprova que a criação de ruído não acrescenta à realidade. Antes a conforma à loucura e pouca seriedade reinante.

Tiago Baldaque

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...