domingo, 2 de dezembro de 2012

Tu me redimes de ideologias

Tu me redimes de ideologias
que apenas se explicam a si mesmas,
e de conceções
que apenas são inventadas,
e do mundo virtual
que se assume a si mesmo como realidade.

Excerto de uma oração de Paul Claudel (adaptada no "Youcat", pág. 112)

5 comentários:

Anónimo disse...

”Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças…” Mc 12,30


…. com todo o nosso CORAÇÃO… como ele é na verdade, barrento e frágil, tão cheio ainda de feridas por sarar das quedas que demos e fizemos outros também dar… mas é isso que Ele nos pede, esse mesmo coração sem perfis ali desenhados pelas moralidades humanas nem máscaras de alguma espécie, um coração que Ele deseja abraçar e beijar totalmente com a sua Graça e Misericórdia…


… com toda a nossa ALMA… esse ABRIGO onde o Espírito Santo deseja habitar TOTALMENTE… limpando essa CASA onde temos deixado vezes sem conta as sombras fazerem morada, esses imensos PANTEÕES das ideologias, religiões e tantos esquemas e sistemas humanos onde vagueamos perdidos em busca de respostas que só Deus unicamente nos pode dar….


… com todo o nosso ENTENDIMENTO… que se renova diariamente num parto contínuo que se gera nesse NASCER de NOVO… que busca por si mesmo respostas e caminhos e não se contenta somente com as respostas e soluções já dadas pelo establishment espiritual oficializado pelos que nos tentam conduzir nos desertos onde tantas vezes nos fazem perder ainda mais o rumo e a direcção que nos levarão às FONTES verdadeiras…

Anónimo disse...

E pronto... lá vem o pseudo-poeta escrever uma bacalhoadas...

Jorge Pires Ferreira disse...

Refere-se a quem, anónimo das 1:14? A Paul Claudel?

Anónimo disse...

Deixe lá Jorge, aqui o nosso anónimo anda tenso porque tarda muito a chegar aquela noite tão feliz em que toda a família que quase não se falou durante o ano inteiro se senta depois à mesa tão juntinha e amorosa para papar umas batatinhas com bacalhau! Chama-se a isso o sindroma do bacalau! É melhor prevenir e ficar na posse do h senão alguém arranja logo uma arma para me chamar de herético! Já não pode um homem escrever poesia e soam logo umas bocas foleiras armadas em postas de bacalhau a salgar o ambiente!

J. Duque disse...

Jorge:
Claudel foi um dos grandes poetas do século XX... e ainda por cima era católico (coisa cada vez mais rara, nos nossos tempos, essa aliança da Fé e do Génio)!
Agora que tanto se fala em diálogo Igreja /Cultura, em recuperar uma posição no mundo cultural, em “Pátios dos Gentios” e Pastoral da Cultura, etc. etc., Claudel é um autor a ler, reler, e meditar. Grande poeta e dramaturgo, mesmo antes do Concilio Vaticano II, recuperou uma poesia de forte pendor bíblico, agreste, solene sem falsas pompas, profético na expressão.
Quiçá uma inspiração para os poetas católicos do Futuro !

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...