domingo, 16 de dezembro de 2012

Mais listas de Eco

Na pág. 94 do mesmo livro do post anterior:
No século quinto, Enódio escreveu que Cristo era a «fonte, caminho, direita, pedra, leão, portador da luz, cordeiro; porta, esperança, virtude, palavra, sabedoria, profeta; vítima, rebento, pastor, montanha, laço, pomba; chama, gigante, águia, cônjuge, paciência, verme».
Há muitas listas do género na literatura cristã, mas... "verme"? Cristo, o verme?

4 comentários:

Anónimo disse...

Jorge,

sim, é verdade. O próprio Bento XVI aplica a Jesus essa noção retirada do Salmo 22 evocado por Ele na Cruz..

Fernando d'Costa

Jorge Pires Ferreira disse...

Obrigado pelo esclarecimento. De facto,

Sl 21,2.7
Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste,
rejeitando o meu lamento, o meu grito de socorro?
(...)
Eu, porém, sou um verme e não um homem,
o opróbrio dos homens e o desprezo da plebe.

Anónimo disse...

E veja-se Camilo Pessanha : o poema que começa "Eu vi a luz em um país perdido"...

Nem só de Adília Lopes vive a Igreja e a literatura portuguesa, Jorge.

Jorge Pires Ferreira disse...

Fernando, recebeu o meu e-mail de sábado?


Anónimo das 5:16, por que haveriam a Igreja e a literatura portuguesa de viver apenas de Adília Lopes?

Não percebi. Claro que há Pessanha, Régio, Pascoaes, Brandão, Daniel Faria, Sofia... Às tantas até é injusto excluir poetas e escritores.

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...