terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Bispo da Guarda pede desculpas


No JN de hoje (depois de uma na capa, há dias, altamente repudiável, quaisquer se sejam as conclusões da investigação). É de saudar o desejo de transparência e colaboração que a diocese de Guarda demonstrou. Ler comunicado aqui.

13 comentários:

Anónimo disse...

Que situação complicada... A ser verdade, só me questiono: que género de pessoas é que são os padres? Pensava eu que seriam idóneas, mas afinal apenas homens como os outros. E, se assim é, porque manter o estatuto que têm? Se a hierarquia da Igreja se comporta como homens maus, porque que motivo continuar a alimentá-los? Se são pessoas como as outras e, que pior, praticam crimes terríveis, o melhor deve ser que a hierarquia caia por terra e os crentes se organizem de outra forma mais civilizada. Aqueles pais a pensarem nas vocações dos filhos, a pensarem que estavam a fazer o melhor por eles. A entregá-los nas, supostamente, nas mãos de Deus e a acabarem usados de forma abusiva por quem deveria ser exemplo incontestável...
É triste. É vergonhoso.
Até prova em contrário, todos são inocentes, mas onde há fumo...

Anónimo disse...

Pois é. Que raio de pessoas são os pais e mães e avós e avôs? Deviam ser, mais do que ninguém, pessoas idóneas, mas afinal são apenas homens e mulheres como os outros. Se os pais deste país se continuam a portar como pessoas más, qual o motivo de estar a trabalhar para pagar as suas reformas? Está na altura de as famílias derrubarem os pais e mães e começarem a organizar a vida humana de outro modo mais civilizado. Aqueles pais e mães que se entregaram a mães e pais pensando que estavam a dar um bom progenitor aos seus filhos viram tal expectativa totalmente gorada.

Homem: cresça e apareça!

Anónimo disse...

Pais, mães e outros familiares não se escolhem. Cada um tem os que tem. Em caso de crime deve, à mesma, tomar as devidas providências. Exemplos de vida são exemplos de vida. Supostos pilares da sociedade. Pessoas, supostamente, de total confiança, que afinal... Alguma coisa tem que mudar. A sociedade não pode continuar a manter certas atitudes como se elas não existissem. Os crimes sexuais contra menores atravessam a sociedade e, tem-se visto, que os prevaricadores acham-se acima dos outros. Falas agressivas que pretendem mudar o outro e fazê-lo menor. De falas destas o mundo não precisa. O mundo precisa de diálogo sério e honesto.

Peter disse...

Algumas almas só conseguem olhar a opinião alheia lá bem do alto da sua sobranceria onde escalou a sua pequena estatura dialogante, para atirarem na sua incapacidade de autocrítica, esse grito do “cresça e apareça” àqueles que expõem uma opinião diferente das suas visões!

O Jorge bem tentou com as tais “Sete exigências da discussão epistemicamente proba” criar aqui algum terreno aberto aos diálogos, mas parece-me tarefa inglória!

E depois lamentamo-nos que alguém nos aponte como “redutor do discurso à verdade…” como escreveu no seu comentário o Anónimo das 9:00 p.m. no espaço do post das “Sete exigências…”!

Realmente "A fé é uma aventura perigosa para os fracos"... porque eles serão “pisados” implacavelmente pelos não dialogantes nessas tais “Falas agressivas que pretendem mudar o outro e fazê-lo menor”, como escreveu aqui o Anónimo das 3:44 p.m.! Ai Senhor, tem mesmo misericórdia de nós!

Anónimo disse...

Pois é Peter, quando se põe toda a Igreja no mesmo saco sem fazer distinções acessíveis apenas a quem busca a verdade e não um qualquer fuzilamento na praça pública; quando se distorce a verdade com a mentira; quando se insulta milhares de homens; não há diálogo possível. Apenas o ridículo que convida à conversão moral já proposta por Jesus: "tira a montanha do teu olho antes de criticares o grão de areia do outro". Mas imagino que, para si, uma citação bíblica é apenas um testemunho de uma teologia esclerosada e não aberta à verdade que está escrita nas nuvens. Certo?

Anónimo disse...

Caro Peter,

comecei a admirar, pouco a pouco, o seu estilo, mas convenhamos que o mesmo é assaz corrosivo a quem contacta com ele. De qualquer modo acho que o primeiro comentário deste post é excessivo e parece-me claramente que o segundo é apenas um destilar de ironia para com o mesmo. Para alguém como o Peter que usa tanto a ironia, estranho como a mesma lhe tenha passado alo lado.

Fernando d'Costa

Peter disse...

Fernando d'Costa esse remate final do: ”Homem: cresça e apareça!” não tem mesmo nada de ironia, antes pelo contrário, é uma repetição daquele gesto que procura dar o “golpe de misericórdia” àquele que do outro lado nos faz frente nesse esgrimir das ideias e opiniões!

Aqui não se tratou apenas, como escreveu o Anónimo das 3:44 p,.m. de exprimir “Falas agressivas que pretendem mudar o outro e fazê-lo menor”.. não, o que ali se pretendeu foi afastar definitivamente o outro! Esse… “apareça”> não é um “destilar de ironias” como diz o Fernando, mas um destilar de imprecações claramente incisivas, carregadas de uma mordacidade corrosiva!

Fernando, o que acha? Para si, afinal quando deve então aparecer tal “Homem” que ainda não cresceu? Se calhar deve ser quando as suas posturas e pensares couberem à justa medida daquele que o convida a crescer!

Peter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Peter disse...

Anónimo das 5:36 p.m

Certamente que não comungo das posturas histéricas dos pasquins que por aí abundam que distorcem factos a partir da informação retalhada e seleccionada que depois vão atirando às ruas da praça pública, dados terríveis que se agigantam quando o alvo é supostamente alguém que pertence a um “corpo” que a sociedade reconhece como “fiéis depositários da Moral”, para ser mais claro, a Igreja!

Reconheço que se têm feito muitos “fuzilamentos na praça pública” de gente da Igreja e não só, sobretudo nestes últimos tempos em que as instituições que deveriam velar e defender os valores da Justiça parecem estar ausentes e adormecidos! A sociedade portuguesa mergulhou totalmente num ciclo de completo desnorte e caos e parece que não pára essa “bola de neve”!

Infelizmente, muitos inocentes, gente séria e que dá a vida pelo Evangelho e pela Igreja é varrida por esse furacão alimentado por ódios e outras forças que todos conhecemos! Nesse terreno dessas sombras que se escondem, tudo é medido e pesado pelo olhar do povo que ali vai sendo educado e “endoutrinado”, e que depois, numa cegueira que é característica do “espírito da manada”, leva tudo e todos por arrasto, tomando assim a floresta pela árvore!

E os media têm sido mais incendiários que instrumentos de informação isenta e factual! Mas quem está por detrás deles! Que interesses se jogam aqui! O que é certo é que há novamente uma situação que já se repetiu demasiado na Igreja nestes últimos tempos! Como agir! Como tentar manter o equilíbrio e a racionalidade no meio destas tragédias! Não somos um CORPO como Igreja! Não está o corpo também doente se um membro adoeceu! Que caminhos e portas estamos a abrir para a CURA e para a paz definitiva!


Sobre a questão da “citação bíblica”, já o disse e reafirmei aqui, que a fonte vital e principal onde a Igreja vai buscar a autoridade o a força para caminhar e ajudar outros tb a caminhar é a PALAVRA.. Anónimo, que quer que lhe diga mais… que rejeito ou espartilho conteúdos bíblicos só porque quem os cita não comunga das minhas posições! Como o Anónimo ainda me conhece ainda tão pouco!

Anónimo disse...

Titulo sensacionalista que não corresponde à verdade... Continuam a deitar para forma verdades parciais e às vez até mal intencionadas... A quem interessa isto?

Anónimo disse...

Mais casos...

Publicado ontem no site da TSF:

MP abre inquérito após denúncia sobre pedofilia na Igreja
Publicado ontem às 19:56


A Procuradoria-Geral da República vai mandar instaurar um inquérito no seguimento das declarações da ex-Provedora da Casa Pia sobre casos de pedofilia na diocese de Lisboa.
«A Procuradoria-Geral da República vai mandar instaurar um inquérito junto do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa», indicou a PGR, em resposta a uma pergunta da Agência Lusa.
A ex-Provedora da Casa Pia, Catalina Pestana, disse esta semana existirem cinco casos de pedofilia na diocese de Lisboa, envolvendo, pelo menos, cinco sacerdotes, tendo tomado conhecimento das ocorrências através da associação Rede de Cuidadores.
Catalina Pestana declarou hoje ao jornal Correio da Manhã que não retira uma vírgula ao que disse sobre os abusos sexuais envolvendo sacerdotes, assegurando estar disposta a comunicar o que sabe ao Ministério Público, caso seja chamada a depor.
Manuel Morujão, porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), desafiou Catalina Pestana a apresentar provas dos casos de abuso sexual que diz ter conhecimento, tendo dito, que não quer entrar em conversas com a Igreja, mas estar disposta a falar ao Ministério Público.

http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=2943396

Jorge Pires Ferreira disse...

Não sei se há mais casos de pedofilia na Igreja portuguesa nem mesmo se na diocese da Guarda se trata de um desses casos.

Mas admiro-me muito que só agora as afirmações de Catalina Pestana sejam levadas a sério.

Já por este blogue andaram:

http://tribodejacob.blogspot.pt/2011/12/catalina-pestana-igreja-e-abusos.html

Anónimo disse...

E lá falou o cromo Nuno Brás...

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...