segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Alegra-te, pois tu abres as portas do paraíso



Quando os pastores ouviram os anjos cantar a incarnação de Cristo, correram para junto do seu Bom Pastor, a contemplar o Cordeiro recém-nascido no colo de Maria. Exultaram, cantando:
Alegra-te, mãe do Cordeiro e do Bom Pastor
Alegra-te, redil onde as ovelhas se reúnem
Alegra-te, proteção contra os lobos que as arrebatam
Alegra-te, pois tu abres as portas do paraíso
Alegra-te, pois os céus rejubilam com a terra
Alegra-te, pois os homens exultam com os anjos
Alegra-te, pois tu dás segurança à palavra dos apóstolos
Alegra-te, pois tu dás força ao testemunho dos mártires
Alegra-te, coluna firme que nos seguras a fé 
Alegra-te, pois tu conheces o esplendor da graça
Alegra-te, pois que por ti os infernos se esvaziaram
Alegra-te, pois, por ti, nos cobrimos de glória
Alegra-te, Esposa não desposada.

De um hino bizantino à Mãe de Deus (séc. VII)

Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...