quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Ai se fosse com a Igreja Católica


Miguel Esteves Cardoso no "Público" de hoje. Não se fala de religião, nem de inspiração cristã. A pedofilia na BBC só interessa aqui pelo pouco relevo que o assunto tem entre nós. Ai se fosse com a Igreja.

Fernando d'Costa comentou há pouco, aqui, e recupero o seu comentário:
Tem seguido o silêncio total que os média em Portugal têm dado ao escândalo de pedofilia em casas de acolhimento muçulmanas no Reino Unido? Basta procurar na net por "gang-raped", "vulnerable under-age girls" e "care homes". Já o disse aqui uma vez: esta desigualdade de tratamento é assustadora... a mesma desigualdade que se verifica face à proibição de uma comunidade dinamarquesa onde os seus dirigentes democraticamente eleitos, por serem muçulmanos, proibiram a celebração do Natal e financiaram as celebrações islâmicas com 10.000 euros cada.
http://www.dr.dk/Nyheder/Indland/2012/11/07/042932.htm?app (pode ser traduzido no Google Translator)
Singular é a observação, espantada, final de "falta de tolerância e inclusividade da nova maioria". Ai se fosse ao contrário.

2 comentários:

HD disse...

Plenamente de acordo!
HDias

Anónimo disse...

Infelizmente, quando surge um ciclone, quem sofre mais danos colaterais são as árvores mais altas e por isso mais expostas! O que não quer dizer que as outras mais pequenas e por isso mais abrigadas não padeçam das mesmas enfermidades que algumas das outras também padecem!

Outras que estarão mais “sãs”, mas à mesma altura e lado a lado com essas árvores altas, acabam por ser também arrastadas na corrente das tempestades que não olham a inocentes!

Resta-nos a misericórdia de Deus!

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...