quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Sacerdotes do “pensamento único”


Na polémica que começou no “Público” e extravasou para os blogues, sobre a "História de Portugal" de que Rui Ramos é autor e co-autor e que foi distribuída em fascículos pelo “Expresso” (basicamente, em resumo, começou com um artigo do historiador Manuel Loff a dizer que Rui Ramos suaviza a ditadura do Estado Novo), Fernando Rosas escreve (em apoio de Manuel Loff; mas só me interessa aqui o uso da linguagem religiosa):
O que julgo intelectualmente inaceitável é que alguns dos candidatos do costume a sacerdotes do “pensamento único” venham ameaçar com a excomunhão do seu mundo civilizado quem não aceitar o que eles parece quererem transformar numa espécie de cartilha “normalizadora” do salazarismo e da sua representação histórica.

Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...