sexta-feira, 8 de junho de 2012

Notícia do Corpo de Deus

Notícia com data de ontem.
En Alemania 160 párrocos de la arquidiócesis de Freiburg declaran vía internet que suministran la Eucaristía a los que se han casado dos veces. (…) 
Los sacerdotes –que representan alrededor de un séptimo del clero de Freiburg que dirige el arzobispo Robert Zollitsch, que también es el presidente de la Conferencia episcopal alemana– declararon en su manifiesto que están «completamente cosncientes» de violar la postura de la Iglesia católica. «Con nuestra firma –explican–, expresamos que, en nuestra actividad pastoral en relación con los divorciados que se han vuelto a casar, nos dejamos guiar por la misericordia», citando el principio salus animarum suprema lex (la salvación de las almas es la ley suprema).
Ler mais aqui. Agradeço a Henrique Dias, que me alertou para a notícia. Nos países latinos acontece o mesmo. Mas nestes há sempre uma relatividade entre os princípios e a prática. Não precisam de coincidir. E cada um age por seu lado, sem manifestos. Por isso é que as reformas de se ver nascem na Alemanha (e na Áustria e noutros países não latinos).

13 comentários:

João Silveira disse...

Cá em Lisboa também fazem isso, é só ir ao sítio "certo".

Mas desde quando é que cometer sacrilégio vai salvar a alma de alguém? Apenas a vai afastar mais da salvação.

Anónimo disse...

Vale a pena ler o "original"e o comunicado do bispo local a proposito do comunicado onde se refere com clareza o comportamento dos presbiteros em relação a estas e outras matérias .

Anónimo disse...

Não ser misericordioso, não é sacrilégio?
Sabe porventura quanto sofre uma pessoa divorciada (mas profundamente crente) por lhe ser negada a sagrada comunhão?
Então uma igreja tão "santa" comete o sacrilégio da falta de misericórdia e ainda critica os poucos que a têm?
Para mim tanto me faz porque, para mim, a tal comunhão tão sagrada para os católicos, não passa de farinha e água...
Mas para amigos meus que são mesmo muito crentes, o sofrimento por lhe negarem a hóstia é muito grande.
Uma igreja que ao longo da história tem cometido, e ainda comete tantas atrocidades, vem hipocritamente "castigar" aqueles que admitem ter fracassado num casamento e tentaram uma segunda possibilidade de uma vida feliz.
Só posso pensar que esta igreja gosta de ver os seus fieis infelizes
Louvo os corajosos e misericordiosos sacerdotes de Freiburg!
Que Deus os proteja das hostes de "santinhos" maldosos!

João Silveira disse...

"Não ser misericordioso, não é sacrilégio?"

Não.

"Sabe porventura quanto sofre uma pessoa divorciada (mas profundamente crente) por lhe ser negada a sagrada comunhão?"

Sei, conheço muitos. E conheço muitos que percebem a sua situação, por isso vão à comunhão e recebem uma benção. Isso é ter consciência do seu estado.

Quanto ao resto, fale com Jesus, que explicou bem isso no evangelho.

Anónimo disse...

"Quanto ao resto, fale com Jesus, que explicou bem isso no evangelho."

A qual dos Evangelhos, escritos por outros (sim, porque os Apóstolos não sabiam escrever)e reescritos, copiados e interpretados ao longo de séculos, por tantos outros, o sr se refere?

Anónimo disse...

Caro anónimo das 9:52,

é discípulo de Bart Ehrman? Sabe, ele mesmo (estranhamente financiado pelo ministério da cultura da Arábia Saudita), ainda que apenas e cobardemente numa nota de rodapé que coloca em todos os seus trabalhos, diz sempre que "nenhuma das variantes existentes alteram a teologia central do Novo Testamento".

E que mal tem os Evangelhos não terem sido escritos pelos Apóstolos? Por isso é que se chamam "Evangelho de N.S. Jesus Cristo segundo X". E sabe que todas (todas) as mudanças são colocadas em pé de página nas edições críticas dos mesmos? no cristianismo não houve nenhum califa Uthman a, perante a diversidade existente, recolher todos os exemplares do Corão, destruí-los e definir como único um só texto.

E não se esqueça, por favor, que não há caridade sem verdade.

Fernando d'Costa

João Silveira disse...

Fernando, obrigado por dar uma resposta melhor do que eu daria.

Anónimo disse...

E o que verdade é essa?
Não sou o das 9:52, mas gostaria de saber.
É que, ao contrário do que por aqui se lê, não sou dono de verdade nenhuma.

Anónimo disse...

Pois: discípulos de Pilatos há muitos, pelos vistos...

Fernando d'Costa

Anónimo disse...

Fernando d'Costa, não lhe dei licença para me ofender.
Não ser dono da verdade não significa que lave daí as minhas mãos, percebeu?
Ao contrário do que pensa, admiro e sigo Jesus!
Só não me arvoro em dono da verdade!

João Silveira disse...

Anónimo, o Pilatos fez mais coisas do que lavar as mãos. O episódio a que o Fernando se refere é a pergunta "O que é a Verdade?", quando tem a Verdade à frente dele.

Se segue Jesus então já deve ter percebido que a Verdade é Ele, o Caminho a Verdade e a Vida.

E já agora ajuda saber que tem um vigário na Terra, chamado Papa Bento XVI. Se o seguir, segue a Verdade. Deus não Se engana nem nos engana

Anónimo disse...

Caro anónimo (não consegue assinar as suas mensagens com um nome ou um pseudónimo? seria muito mais fácil o diálogo): não o quis ofender. Nem imagino como é que as minhas palavras o levaram a pensar isso. De verdade que não.

De facto, como disse o João Silveira, referia-me ao cepticismo relativista e narcisista de Pilatos. Repare que não o chamei "Pilatos", mas seu "discípulo" por ter repetido as suas palavras ("o que é a verdade") e não por algum gesto seu (o lavar das mãos). Sei que cada vez mais se pensa que a verdade objectiva não existe; que apenas existem as "nossas verdades", mas não sou dessa linha. Chamem-me "velho do Restelo".

Espero que esteja mais tranquilo com este esclarecimento.

Fernando d'Costa

Anónimo disse...

Fernando, os seus comentários são uma revelação.

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...