sexta-feira, 8 de junho de 2012

Fé e esforço?


Infelizmente a fé foi e é muitas vezes entendida e anunciada de tal maneira que precisamos de esforçar-nos para nos guiar pela vontade de Deus. (…) Temos que tentar cumprir os seus mandamentos, trabalhar em nós mesmos para corresponder aos que deveríamos ser diante de Deus. Passamos então a andar constantemente com um peso na consciência por não conseguimos realizar o nosso ideal. E nisso tudo, muitas vezes, não está claro se é realmente o ideal que Deus fez de nós, ou se é o ideal do nosso superego, com o qual o nosso superego nos impele à perfeição e a render o máximo. Deus é mais bondoso do que o nosso superego.

Anselm Grun, “Dimensões da fé”, pág. 53

Sem comentários:

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...