segunda-feira, 21 de maio de 2012

Vattimo: Durante muito tempo levantei-me cedo para ir à missa



Durante muito tempo levantei-me cedo, para ir à missa, antes da escola, do escritório, das aulas na universidade. Assim poderia começar este livro, talvez acrescentando o fácil calembour de que se trata de uma «busca do tempo perdido». Mas poderei autorizar-me não diria já ao calembour mas ao discurso na primeira pessoa? Dou-me conta de que nunca escrevi assim, a não ser quando se tratava de discussões, polémicas, cartas ao diretor. Nunca nos ensaios e nos textos de carácter «profissional», crítico ou filosófico. Aqui a questão coloca-se porque as páginas que se seguem retomam os temas de uma longa entrevista a dois, juntamente com Sergio Quinzio, feita o ano passado para "La Stampa" por Claudio Altarocca, em que se falava na primeira pessoa, e ainda porque o tema da religião e da fé parece requerer uma escrita necessariamente «pessoal» e comprometida; embora ela não seja essencialmente narrativa e talvez não tenha sempre muito claramente como referência um narrante-crente.

Gianni Vattimo, "Acreditar em acreditar", ed. Relógio d’Água, 1998 (original de 1995), pág. 7.

1 comentário:

Maria de Fátima disse...

Pois eu, durante muito tempo, levantei-me tarde para não ir à missa e espero não voltar a fazer isso.

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...