quarta-feira, 9 de maio de 2012

Feriados podem voltar em 2018? Para quê?



No DN de hoje. O "Corpo de Deus", parece-me, não volta mais. Celebra-se ao domingo, como a Ascensão. E dá jeito ao clero. Quanto aos outros, duvido que voltem. A eliminação é "à experiência" para não parecer definitiva. Já ninguém gosta de dizer "sempre". Se podem ser descartáveis em função da crise, quando passar a crise, restauram-se estes. É esta a lógica? Nesse caso, é mesmo economicismo, como alguns gostam de dizer. E quando vier a abundância, restauram-se outros?

3 comentários:

Anónimo disse...

Totalmente de acordo. Isto faz lembrar a lei do aborto. Fez-se o referendo ganhou o SIM e pronto. Não volta a haver mais discussão. E agora é o que se vê... Quanto a feriados, estes nunca mais.

Anónimo disse...

Tudo o que vai sendo tirado amiúde, muito dificilmente voltará a ser reposto. Falarem que em 2013 isto, em 2015 aquilo ou em 2018 outra coisa, é dar uma esperança a quem ainda espera que seja reposta a situação. Até poderão ser repostas muitas das coisas que foram tiradas, em termos eleitoralistas apenas. Agora falasse da descida dos impostos...quem vende, mesmo que desca, continuaremos a pagar quase o mesmo.

Jorge Pires Ferreira disse...

Obrigado pelos comentários. JPF

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...