quarta-feira, 9 de maio de 2012

Crise de comunicação ou de identidade?



A Igreja não sabe comunicar com os fiéis e, vai daí, cria uma comissão para estudar a questão e ensinar a comunicar.

Na Ecclesia, acrescenta-se algo à frase de cima, que resume a notícia do CM de hoje:
O sacerdote jesuíta [padre Morujão, porta-voz dos bispos] disse, por outro lado, que a “dificuldade” sentida pela Igreja Católica em transmitir a sua mensagem é a mesma de “todos os pedagogos” de hoje, perante “milhões de mensagens” e "profetas alternativos". 
“Perante essas dificuldades [a Igreja], não cruza os braços; esperemos melhores tempos”, acrescentou (aqui).
Fico aliviado por saber que as dificuldades eclesiais não estão sós. Mas esta desculpa é uma ilusão. Isto de a Igreja não saber comunicar – isto é, não saber cumprir a sua missão – é verdadeiramente paradoxal. A crise de comunicação é uma crise de identidade. Mas centro-me na questão da comissão. Criar uma comissão para resolver um problema faz-me sempre lembrar aqueles versículos que não entraram no Livro do Êxodo mas estão implícitos. Passa-se no deserto, entre dois israelitas, quase à entrada na Terra Prometida:
- Sabes por que é que Deus nomeou Moisés para nos tirar da escravidão do Egito? [Não altura ainda diziam com “p”, mas eu sigo o acordo, apesar de engolir em seco, sentindo o pó do deserto, sempre que escrevo Egito.]
- Porque se tivesse nomeado uma comissão, ainda lá estávamos.

4 comentários:

Anónimo disse...

...é de facto uma crise de IDENTIDADE.Em post anterior comentou o CL e o comportamento dos seus dirigentes...e o que dizer do cardeal da irlanda que enquanto padre tomou conhecimento do escandalo da pedofilia e se calou ?e como interpretar o discurso do papa aos novos cardeais?etc...etc...é uma crise gravíssima de IDENTIDADE...o poder capturou o CORAÇÂO...as comissões servem para os "egos dos eclesiasticos e dos leigos clericalizados se pavonearem "No dia em que os PASTORES (cardeais,bispos e afins)dormirem com as costas no recinto de Fatima como fazem os pobres pecadores...tudo começará a mudar ...deixará de haver tantas vocações a bispo ...os peixes eo pães multiplicar se ão ...falar se á do Evangellho da mensagem de Fátima da "videira" etc...no entretanto fala-se de outras coisas

Anónimo disse...

Muito bem 5:11 PM!!!
A igreja já tem pavões que bastem! Os senhores cardeais, os senhores bispos e por fim alguns senhores padres, que aprendam a estar com os simples, que desçam dos pedestais em que se colocaram e se aproximem das pessoas. Não da comunicação social (como tanto apreciam), mas das pessoas.
O bispo da minha diocese diz que quer visitar as pessoas mais frágeis nas suas casas. Disse-o à comunicação social, claro!
"A ver vamos", como diz o cego...

Anónimo disse...

Pois é; a Igreja passou a falar do que o "mundo" queria que ela falasse em em vez de dar a conhecer a mensagem de Jesus e os resultados estão bem à vista: sangramento de fiéis e, como em New Jersey, 60% de praticantes que acreditam que Jesus pecou.

Fernando d'Costa

Anónimo disse...

8:35 PM, não sei se o bispo da sua diocese e o da diocese da minha área de residência é o mesmo, mas encontro algumas semelhanças. Este é só sorrisos e simpatia.
Até consegue dizer a sorrir, que é provável que haja despedimentos em algumas instituições da diocese!

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...