sábado, 26 de maio de 2012

Apanharam o mordomo com a boca na botija

Paolo Gabriele

No Estado mais incomum do mundo, o Vaticano, acontecem os lugares mais comuns: apanharam o mordomo com a boca na botija.


Paolo Gabriele, 46 anos, casado, pais de três filhos, mordomo pessoal de Bento XVI, foi apanhado com "uma grande quantidade de documentos reservados" em sua casa (Via da Porta Angélica - o nome diz tudo, pois "anjo" quer dizer mensageiro). Tudo indica que é o responsável pela fuga de informações confidencias - o caso Vatileaks. 


Agora, pode ser condenado até 30 anos de prisão - julgo que na justiça italiana - por violação da correspondência de um chefe de Estado. Resta saber se não é apenas um bode expiatório - como diz a imprensa italiana - numa cena em que a caça mais grossa esquiva-se por entre a colunata de Bernini.


Neste caso todo há uma novidade: Bento XVI tinha um mordomo que não era clérigo nem consagrada. De certeza que era de um movimento/grupo. CL? Opus Dei? Focolare? Mera curiosidade. A traição é um ato individual.

1 comentário:

Anónimo disse...

Pretende-se, com isto, desviar a culpabilidade de alguém em postos mais "elevados"? Não sei. Mas...

Fernando d'Costa

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...