terça-feira, 10 de abril de 2012

A última semana de Jesus

Saiu na "Sábado" da semana passada, precisamente na Quinta-feira Santa (a capa já por cá andava).

A tese é esta: a Última Ceia de Jesus, a nossa primeira missa, foi na quarta-feira. Só isso possibilita colocar nos dias seguintes os restantes factos da Paixão narrados pelos evangelhos.

A aparente contradição entre os evangelhos sinóticos (que dizem que a última ceia de Jesus é uma ceia pascal) e o de João (que diz que quando, já depois da Ceia de Jesus, Caifás leva Jesus a Pilatos não entra na sede do governador romano - espaço impuro - para não se contaminar e poder celebrar a Páscoa - a ceia de Caifás e dos seus) é explicada pelo seguimento de calendários diferentes. Os judeus de Jerusalém seguiam o calendário do exílio da Babilónia, enquanto os galileus, como Jesus, os samaritanos e os essénios, seguiam o calendário pré-exílio. Os primeiros, seguindo o calendário oficial judaico, comiam o cordeiro pascal a 15 de Nisã. Os outros comiam-no a 14. Tal explica que a ceia de Jesus, sendo pascal, é anterior à do judaísmo oficial. Aconteceu na quarta e deixou espaço para os restantes acontecimentos.

Esta tese apresentada como novidade no livro de Colin J. Humphreys, "O mistério da última ceia", que está na base do artigo da "Sábado", há muito que é conhecida. Julgo que o primeiro a apresentá-la foi A. Jaubert, um especialista nos manuscritos do Mar Morto, nos essénios e no Quarto Evangelho. Não é citado no artigo. Quanto ao livro, não sei. Mas é significativo que o artigo diga que o homem do cântaro de água (referido em Mc 4,13 e paralelos), que empresta a sala para Jesus e os seus celebrarem a Páscoa, é um essénio, pois nesta comunidade de celibatários as tarefas habitualmente femininas tinham de ser assumidas pelos homens. Os essénios seguiam o mesmo calendário que os galileus lá do norte, uns quase hereges, tão longe do judaísmo oficial.








1 comentário:

Viva Vegan disse...

Pra quem se diz grande estudioso das Escrituras, dizer que o cativeiro Babilônia durou cerca de 50anos e q Cristo tinha 37 anos quando morreu deve tá de brincadeira né? Que colocou ele nesse pedestal? A maçonaria?

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...