terça-feira, 20 de março de 2012

Queridos feriados

No JN de hoje.


A dificuldade em eliminar feriados, civis ou religiosos (ao contrário do que se diz, que todos os feriados são civis, penso que só os religiosos têm realmente significado), deixa-me perplexo. Os portugueses, salvo duas ou três exceções, não querem trabalhar mais meia hora, não querem ganhar menos, não querem ter menos feriados, não querem perder privilégios, pensam que podem pagar dívidas sem dor, querem manter os mesmos padrões de consumo. 


E estão todos, agora, concentrados no aumento da produtividade. Tivemos o tempo todo para aumentá-la e não o fizemos. Mas agora toda a gente tem ideias estupendas para aumentar a produtividade e tudo continuar como antes. Ou seja, todos querem, salvo duas ou três exceções, que tudo continue como antes. A produtividade é uma questão de conversa. 

Sem comentários:

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...