quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Rainer Maria Rilke: Senhor, dá a cada um a sua própria morte

(continuação)


Porque nós mesmos somos apenas a folha e a casca.
A grande morte que cada um traz dentro em sim
é o fruto e o centro de tudo.


É para ela que as jovens debutam
e parecem árvores a sair de uma lira,
e para ela os meus rapazes sonham ser homens
e, para os que crescem, as mulheres são confidentes
de angústias que mais ninguém poderia tirar-lhes.


(continua)

Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...