segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Pede o sofista Rui Tavares que se suprimam os feriados religiosos


Gosto de ler Rui Tavares, na última página do “Público”. Geralmente para discordar. Ele é perito em fazer regras a partir das excepções e gosta de elaborar leis, necessariamente gerais, a partir de uma situação particular. E apresenta teses polémicas como se fossem consensuais, hipóteses como dogmas. É a isso que se pode chamar um bom mestre sofista. Lembro-me de dois exemplos assim de repente. Teria mais se fosse consultar o monte de “Públicos” que tenho ali ou se fosse o seu blogue. Diz, por exemplo, que a arte gótica, com os seus arcos em ogiva, inspirou-se na arte islâmica. É uma tese falsa, hoje abandonada. Foi corrigido por historiadores, na sequência do seu texto, mas não me lembro de o cronista ter assumido o erro na sua coluna. Diz, outro exemplo, que o melhor era os países da dívida soberana não terem governo, como a Bélgica, que se tem safado bem. Dizia isto quando tudo na Bélgica estava bem, admito que com alguma ironia. Quando se viu que o país não está livre do perigo, invalidando a tese obviamente irrealista, nada disse.

Hoje, realçando que todos os feriados são do Estado, porque são “os que determina a lei da República”, decreta que “entre os dispensáveis estão o 8 de Dezembro, o Corpo de Deus, o 15 de Agosto e o Dia de Todos os Santos. Se querem cortar quatro, são estes”.

Por ele, mantêm-se o 25 de Abril, o 10 de Junho, o 5 de Outubro, 1 de Dezembro. E justifica-os. Não sei porque não falou do 1 de Janeiro nem do 1 de Maio.

Eu, que já aqui exprimi que desde que não suprimam o domingo podem suprimir todos (religiosos e não religiosos), fico espantado com a clarividência do eurodeputado. A regra dele é: suprimam todos os religiosos (o 25 de Dezembro e o 1 de Janeiro, tendo base religiosa, jogam em ambos os campeonatos). Bastava ter escrito esta frase.

Sem comentários:

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...