sábado, 10 de dezembro de 2011

Ou o cristianismo descobre a sua vocação primitiva ou perde a relevância, diz António Pedro-Vasconcelos


Texto no "Sol" de ontem. Não sei se Vasconcelos está certo: "Moretti fala com humor, ousadia e inteligência de uma instituição que vai ser chamada a desempenhar um papel decisivo nesta segunda década do século, perante o enorme desastre social em que a Europa se prepara para mergulhar".

Não me refiro nem ao "humor, ousadia e inteligência" de Moretti, nem ao "desastre social" da Europa. Refiro-me ao "papel decisivo" da instituição. A Igreja tem credibilidade para os europeus? O texto de Anselmo Borges no "post" anterior lança algumas pistas.

3 comentários:

Anónimo disse...

Concordo. Acredito que o Cristianismo se começa a encaminhar para a sua vocação primitiva, mas ainda tem muitos passos a dar, começando por acabar com a própria pompa com que muitas vezes se apresenta. Cristo não era assim.

Anónimo disse...

Mas vejamos então como está a participação em actos comunitários: na política é o que se vê (abstenção impressionante), o voluntariado (maior parte das vezes traz interesses), a participação em actos de comemmorações como feriados de datas históricas é uma vergonha ao nivel nacional. O que resta? Futebol... Por isso não batam na Santa Madre Igreja.

Anónimo disse...

Ao último anónimo. Meteu TUDO no mesmo saco: política, voluntariado, datas históricas, futebol e Santa Madre Igreja. Será porque é tudo farinha do mesmo saco? Só não me parece correcto que chame Santa a uma igreja que perseguiu, matou, pilhou, violou (crianças incluídas)tudo em nome da Fé. Santa???

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...