segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A Igreja ainda é machista?



Da entrevista de António Marujo à teóloga italiana Nicoletta Crosti (autora de “À procura das Raízes Hebraicas da Fé Cristã”, ed. Paulinas)

…A Igreja ainda é machista?
Sim, muito. A mulher tem que esperar… A mentalidade do mundo fora da Igreja começa a dar mais espaço à mulher que a Igreja. A Igreja foi a última a seguir o movimento da história. Não foi assim nos seus primeiros tempos, quando a mulher tinha um papel muito importante. Quando lapsos freudianos fazem os padres! É dificílimo para eles aceitar uma mulher na paróquia que tenha um papel importante.

António Marujo, “Deus Vem a Público. Entrevistas sobre a transcendência. I volume” (ed. Pedra Angular), pág. 59.

6 comentários:

Anónimo disse...

É claro que a Igreja é muito machista! Ainda têm muito que aprender, uma vez que na Espiritualidade não há questões de género.

Anónimo disse...

Acompanhando este blogue percebe-se que a cada dia que passa há uma tonalidade anti-padres. É bom recordar que o autor deste blogue é padre mas deixou de exercer o ministério. Não é de admirar a quantidade de posts relacionadas com esta matéria. Coloca agora algo sobre o Natal para "misturar".
Um Santo Natal

Jorge Pires Ferreira disse...

Ao segundo anónimo: O sr. tem a vantagem de me conhecer, porque dou a cara, enquanto o sr. esconde-se atrás do "anónimo". Não há tonalidade anti-padres, porque os admiro, nem anti-igreja, porque a amo. Pergunto, antes e constantemente, pela verdade. Isso é o que me interessa. Se quiser falar sobre isso, estou sempre disponível. Não tenha medo: jorgepiresf@gmail.com.

maria disse...

pelas obras os conhecereis, não é?! não há mesmo paciência para esta praga de comentadores anónimos, a vigiar a consciência dos outros.

Abraço, Jorge.

Anónimo disse...

Continua a ser pastor. Obrigada por isso.

Jorge Pires Ferreira disse...

Maria e último anónimo, obrigado pelas vossas palavras. Bom Natal para vocês e para o outro senhor vigilante.

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...