segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

D. José Cordeiro entrevistado pelo "Expresso"

Entrevista de D. José Cordeiro à revista "Única" ("Expresso") do último sábado. 




23 comentários:

Anónimo disse...

A entrevista é muito boa. Quem fala a sim não é gago. Directo, simples e sobretudo aponta ao essencial: Cristo

Anónimo disse...

Cauteloso nas respostas a assuntos polémicos talvez não seja uma má avaliação. Nem poderia ser de outra forma. Ou segue a regra do "chefe", ou "desemprego"!
Esteve muito bem, sim senhor.

Anónimo disse...

Da entrevista o que deduzo é que o chefe é Cristo. Mas está bem...

Anónimo disse...

O chefe é Cristo, o grande chefe é que não. Mas está bem...

Anónimo disse...

Ora lá está. O grande chefe é Cristo. Mas está bem...

Anónimo disse...

Está bem, está...
Cristo, É.Não precisa ser chefe, porque Ele É O QUE É.
O "grande chefe", é só um chefe. Mas continua a estar bem...

Anónimo disse...

Ao primeiro e terceiro "Mas está bem...": sei quem és.
Tens estado bem ;)

Anónimo disse...

Afinal em que ficamos há só um chefe ou não? É que dá a impressão de que não quer que haja um chefe. Mas está bem...

Anónimo disse...

Chefes há muitos. O "grande chefe", que se saiba, é um.
Confundi-lo com Cristo, não o confundo.
Como já disse, Cristo É O QUE É.
Mas está bem...

Jorge Pires Ferreira disse...

É muito curioso assistir a um diálogo de anónimos. "Sei quem és". Isto tanto tem conotações bíblicas ("é por ti que o dizes ou foram outros?") como faz lembrar diálogos de espiões. "Não enganas ninguém por detrás do anónimo". Digo sinceramente que não conheço nem faço a mínima ideia de quem não os anónimos, embora note que um tem um elevado fascínio pelo bispo de Bragança-Miranda.

Jorge Pires Ferreira disse...

Só agora li a entrevista do Expresso,apesar de a ter posto aqui há dias. Em si, pouco adianta. Eu não conheço o sr. bispo. Parece-me fluente, mas não arrebatador (e a verdade é que estamos fartos de demagogos). Tudo dentro dos limites. O celibato "é tido como". Não se diz que é, porque não é e é difícil justificar que seja, mas que é "tido como", ou seja, porque querem que seja. Felizmente não fala nas novas tecnologias nem do Facebook, como nas outras entrevistas. É que depois vamos ver a página do FB do sr. bispo e o que vemos? Florzinhas e postalinhos. A evangelização pelas novas tecnologias pode esperar.

Anónimo disse...

Tanto me faz que haja chefe, como não. A mim não me incomoda.
Eu sigo Cristo.
E continua a estar bem...

Anónimo disse...

Não se acaba o que se começou e depois é o que dá...

Anónimo disse...

O problema é que há incómodos com o grande chefe. Em que ficámos? Lamúrias diárias e escondidas detrás de palavras. Parece o movimento Nós Somos Igreja. Mas está bem...

Anónimo disse...

Va bene!
Então "para acabar o que se começou":
Cristo nunca precisou de sapatinhos vermelhos (nem de outras cores), para Ser "O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA".
Assim já está bem?

Anónimo disse...

Mas aonde é que se fundamenta em que Cristo não calçou sapatos vermelhos? Esteve lá? Viu-o? Sei que foi a uma boda em Caná. Foi despido? Só se for em anedotas. O argumento das sapatos Prada é uma pantominice. Olha eu calço Boss, Camel, Gant etc etc etc. Va Bene? Não goze comigo e arranje um chefe...

Anónimo disse...

E repito: acaba-se o que se começa e isso incomoda. Va Bene?

Anónimo disse...

Va molto bene, chefe. Lol

Anónimo disse...

E Prada, também quer um dia calçar Prada?
Eu contento-me em calçar o que faz o sapateiro da minha aldeia. Mas está bem...

Anónimo disse...

Se me ofereceres uns Prada com todo o gosto. Da tua aldeia não me parece. Sabes lá tu o que é uma aldeia. Eu que é que te oferecia uns bons sapatos da minha aldeia (e não é ficção) por esse... acima.
É só quequices.

Jorge Pires Ferreira disse...

Se é para insultar, por favor, não escrevam aqui.

Anónimo disse...

INCRÍVEL, tanta falta de educação!São sacerdotes???

Anónimo disse...

Vamos ao que interessa: a entrevista. Em minha opinião (que nada vale) estamos perante o mais jovem bispo Português. Jovem na idade mas muito velho no conservadorismo e na obediência cega ao Papa, à hierarquia da igreja e às suas tradições, que nem sequer se dá ao trabalho de discutir. Como o próprio diz, "o Papa já se pronunciou e já pôs um ponto final sobre o assunto". ESTÁ TUDO DITO, este senhor é só mais um a juntar a tantos outros. É novo (para o que é costume), muito culto, viajado, simpático, bem educado e, como já alguém escreveu neste blogue, até tem uma carinha laroca. No resto, como já disse, MAIS DO MESMO!

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...