segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Mesmo que...

Julian Barnes, que é agnóstico, afirma: "Pelo menos, um Deus inexistente proteger-nos-á de gnomos e duendes e demónios da floresta inexistentes, ainda que não dos lobos e dos ursos (e leoas) existente" (pág. 32 de "Nada a Temer", ed Quetzal).


Não é por ser útil que se deve, melhor, pode acreditar em Deus. Mas há utilidade em acreditar em Deus, principalmente a que vem do sentido versus absurdo, ainda que a utilidade seja consequência e não causa. Mesmo que fosse só uma ideia, Deus seria a mais espantosa ideia do ser humano.

2 comentários:

SilverTree disse...

"Mesmo que fosse só uma ideia, Deus seria a mais espantosa ideia do ser humano."

E este seu pensamento adicional podia ser ele mesmo todo um post :)

Anónimo disse...

Apoiado Silver Tree!!

Saudações,
Paulo Campos

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...