segunda-feira, 20 de março de 2017

Katy Perry: Grupos de jovens católicos que eram como campos de conversão

Sou mais katyperriano do que ladygaguesco, se tiver de escolher alguma. Mas pensava que Katy Perry era de educação evangélica. Foi com essa ideia que fiquei ao ler uma entrevista dela à Rolling Stone, há seis ou sete anos. Agora leio que ela "foi criada dentro de grupos de jovens católicos que eram como campos de conversão".

Campos de conversão. Ideia gira. Ótimo para formar anticatólicos.


Agora o excerto do Observador:

A cantora falou sobre a sua música ‘I kissed a girl and I Liked it’ (‘Eu beijei uma rapariga e gostei’) e descreveu-se como sendo uma mera compositora de músicas. “Nestas pequenas canções pop eu escrevo algumas realidades, mas pinto também as minhas fantasias, como por exemplo na música ‘I kissed a girl and I liked it'”, disse a cantora. A música foi lançada em 2008 e, na época, criou alguma controvérsia. Havia quem dissesse que a música era humilhante para a comunidade gay.Mas foi também neste discurso que Katy Perry admitiu que a música foi baseada na sua própria experiência real. “Para ser honesta, eu fiz mais do que apenas isso [beijar uma mulher]. Mas como é que eu conseguiria conciliar isso com a rapariga que cantou o evangelho em coros e que foi criada dentro de grupos de jovens católicos que eram como campos de conversão? A única coisa que sabia era que estava curiosa e que a sexualidade, na época, não era tão ‘a preto e branco’ como este vestido”, contou.

Aqui tudo.

E gosto desta canção, que acho que dá autoconfiança a adolescentes inseguros. Eu ouvia "Papa don't preach".

Sem comentários:

Agora que a Quaresma acaba