sexta-feira, 4 de julho de 2014

Defesa

Se a vós, magistrados do Império romano, que na vossa alta posição presidis publicamente à justiça lá quase no cimo da cidade, não é lícito indagar abertamente e examinar na presença de todos o que haja por detrás da questão dos cristãos; se, neste caso tão somente, a vossa autoridade tem medo ou tem pejo de uma diligente e justa devasse pública; e se, como recentemente se passou, a ânsia de atacar esta nossa seita - ânsia muito atreita a denúncias domésticas - tapa simplesmente a boca à defesa... deixai que a verdade vos chegue aos ouvidos, pela via oculta, ao menos, destas letras silenciosas.

Tertuliano, n.º 1 de "Apologético"

3 comentários:

Miguel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel disse...

...eles bem se fartaram de usar a "via oculta" vulgo emails, mas o defunto, «que descanse em paz», ignorou a “res derelictae” que disse desconhecer, esquecendo-se de uma regra simples e básica: “Semper flamma fumo proxima est”. Resultado: aberta uma vez a garrafa nas adegas, já não há retorno, o vinho que restou dos festejos e borgas infames, e ali ficou esquecido por uns tempos, acabou por se transformar em vinagre bem amargo, quando a outra senhora, resolveu provar o sabor dessas adegas dos frades, e por (in)acidente, abanou a borra daquela malfadada garrafa que ali descansava na paz podre dos anjos das trevas! Bem pode apelar Tertuliano...! Mais uma dor de cabeça e aflição para Francisco, e para todos os que directa e indiretamente acabam por sofrer nas suas vidas e ministérios, os erros de um punhado de seres, sem uma réstia de dignidade e humanidade!

Miguel disse...

Faltou indicar as fontes que noticiam a infâmia:

"MP acusa funcionário e sacerdote da Ordem de S. João de Deus por abusos sexuais

Os factos terão sido praticados em 2004, 2005 e 2010. O caso foi noticiado pelo Expresso em dezembro de 2012."

Ler mais:
http://expresso.sapo.pt/mp-acusa-funcionario-e-sacerdote-da-ordem-de-s-joao-de-deus-por-abusos-sexuais=f879099#ixzz36WA4AYAe

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...