segunda-feira, 29 de julho de 2013

Francisco: "Se alguém é gay, procura o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para o criticar?"

"Si una persona es gay y busca al Señor y tiene buena voluntad, ¿quién soy yo para criticarlo?". Palabra de Francisco, quien ayer dejó con la boca abierta a los 71 periodistas que viajábamos con él en el avión que le llevó de vuelta a Roma al concluir su viaje a Río de Janeiro.

Ler aqui, em espanhol, o que Francisco conversou com os jornalistas no regresso a Roma.

9 comentários:

Anónimo disse...

Pois é... também disse «Quanto à possibilidade da ordenação de mulheres, o Papa sublinhou que essa “porta foi fechada” por João Paulo II»...

Jorge Pires Ferreira disse...

Esperemos que a abram. Porque as portas são para fechar e abrir.

Anónimo disse...

Sublinha o respeito e o carinho por todos, incluindo obviamente os homossexuais, demasiadas vezes ostracizados da Igreja. Mas não disse nada de verdadeiramente novo.

Anónimo disse...

estão sempre a tentar adulterar o sentido das palavras de Francisco lendo nas entrelinhas aquilo que gostariam que ele afirmasse e com isso enganam os homosexuais de boa vontade. Qual é a novidade daquilo que disse Francisco? limitou-se a dizer o óbvio e a evocar o catecismo, ou alguém estaria à espera que o Papa ostracizasse quem quer que seja??? Já agora o Papa também defende o aborto e é favorável à eutanásia....(aquela agendinha fracturante estranhamente tão do agrado dos progressistas)

Jorge Pires Ferreira disse...

O Papa não falou só dos gays. Falou de muitos outros assuntos. O jornalista espanhol chamou essa questão para abrir o artigo. E foi esse início de artigo que copiei para o blog. Se o artigo tivesse começado com outro assunto, provavelmente seria esse assunto que teria copiado para o blog. Mas duvido que um jornalista do "El Mundo", que me pareceu fazer o relato mais completo - até então - , chamasse para primeiro assunto, por exemplo, o motivo por que o Papa pedem que reze por ele.

Anónimo disse...

Sendo Tribo de Jacob é pena não ter referido o apelo contra a corrente feito pelo Papa aos jovens, isso sim bem mais importante nos nossos dias. No entanto parabéns por este blogue que é bom.

Anónimo disse...

uns bem intencionados outros querendo apenas envenenar, apenas baralham as pessoas de tendencia homosexual que em nada se reveem na cultura e agenda gay....(sei do que falo) alias cada homem seja hetero ou homosexual quando busca sair de si e ir ao encontro de Cristo tem a perfeita noção das suas ' prisoes', para uns vencer estas prisoes é ir contra a natureza para outros é por aqui que se atinge a verdadeira liberdade e com ela a felicidade. Desconfio que os q pugnam pela agenda gay nao serão os que mais amam os homosexuais e se preocupam com a sua felicidade....

Jorge Pires Ferreira disse...

Ainda a propósito do lóbi gay, o que escrevi aqui mantém grande consonância com o pensamento papal

http://tribodejacob.blogspot.pt/2013/06/o-que-e-um-lobi-gay.html

vídeo da entrevista

http://www.youtube.com/watch?v=Zitb3nCgd0Y

(Obrigado, Henrique Dias)

Anónimo disse...

Penso que o Jorge está a fugir ao cerne da questão, ou então entendi mal. A grande questão relativamente aos gays na Igreja catolica não se põe enquanto aceitação do ser humano, mas sim na condenação clara - clarissima - das práticas sexuais gays bem como do conjunto da agenda a ela associada - casamento, adopção etc A Igreja não mudou uma virgula estas questões e o Papa deixou isso bem claro ao evocar o catecismo. Não entendo então porque sempre esta adulteração do pensamento de Francisco. Acrescento também que a Igreja também condena o sexo fora do casamento nos heterosexuais (é preciso informar isto???!!!). Chega de lançar confusão na cabeça das pessoas

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...