quarta-feira, 19 de junho de 2013

Aprender com os ateus: Jornada desde a manjedoura

Ao contar a jornada de um homem desde a manjedoura, o cristianismo conta uma história quase universal acerca do destino da inocência e da docilidade num mundo turbulento. A maior parte das pessoas são cordeiros que necessitam de bons pastores e de um rebanho misericordioso.


Alain de Botton, em "Religião para ateus", pág. 223.

1 comentário:

Helena V. disse...

Muito bom. A ética da fragilidade, aquilo que verdadeiramente no une, como humanidade que somos, "criaturas", "filhos" gerados no e para o amor de Deus. Obrigada, Jorge.

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...