segunda-feira, 29 de abril de 2013

Quem vai para o Porto?


Escreve o correspondente de Braga do "Correio da Manhã" que D. Manuel Clemente regressa a Lisboa. Os do Porto, não gostam uns e  dão saltos de alegria outros. É sempre assim quando muda um responsável. Mas a notícia ainda não foi confirmada. E, se for verdade, mais interessante é saber quem é o próximo bispo do Porto, que costuma ser a diocese portuguesa mais sólida, criativa, dinâmica, estimulante.

14 comentários:

Peter disse...

Apenas troca de cadeiras e cajados! O problema não é quem vai substituir quem, o problema é como esse pastor irá usar a força do seu “cajado”..! Para quem ainda nutre alguma dúvida, nada como escutar e ler o que um desses raros pastores fala dos seus outros irmãos pastores:

"Los obispos se manejan como si fueran dueños del rebaño"

¿Ha llegado el momento de activar, de una forma clara y decidida, la corresponsabilidad de los laicos en la Iglesia?
El Concilio Vaticano II también dejó bien claro este asunto, cuando habla de la común dignidad de las y los bautizados en la Iglesia, y cuando eligió el concepto de Pueblo de Dios para reflexionar sobre la identidad de la Iglesia en la Constitución Lumen Gentium. Creo que el asunto no va por la comprensión de la corresponsabilidad de los laicos, sino por el problema del clericalismo en la Iglesia de parte de los obispos y presbíteros, ese sí es un problema grave. Esto nos ha llevado a instrumentalizar nuestro ser sacerdotal para acumular privilegios y convertir nuestro estatus en la Iglesia y en la sociedad, en una casta superior. Aún entre nosotros los ministros ordenados, mantenemos en los hechos, como en la edad media, las diferencias entre el alto y el bajo clero.

Los signos que está dando el Papa en este momento van por ahí. Romper las barreras que hemos creado en la Iglesia para querer hacer evidentes unas diferencias creada por nosotros, que ni el Padre de los Cielos, ni Cristo, ni el Espíritu Santo, es decir, el mismo y único Dios, ha diseñado. Tenemos que hacer desaparecer el concepto principesco e imperial con el que nos manejamos quienes hemos accedido al orden sagrado. Actuamos de manera contraria a lo que San Pedro nos recomienda en su Primera Carta, esto es, que no nos comportemos como si fuéramos dueños del rebaño, y lo que es peor, el que nos sentimos los dueños de la Iglesia. (José Manuel Vidal)

Texto integral:

http://www.periodistadigital.com/religion/america/2013/04/19/obispo-saltillo-mexico-raul-vera-iglesia-religion-obispos-se-manejan-como-si-fueran-duenos-del-rabano-casta-superior-clericalismo.shtml

Carlos Bernardo Silva disse...

A inaudita instituição humana que funcionaria sem organização, sem hierarquia, sem regulamentos, só com base na "boa vontade" e nos "bons corações" que o mundo gera, tantos e tantos eles são! Eu também já tive quinze anos.

As pessoas acham mesmo que dando cabo da Igreja ajudam o evangelho e a preservar a dignidade do ser humano? Ingenuidade e presunção!

Ah e tal o concílio... Sr. Peter, o senhor é católico sequer? Vive integrado na sua paróquia, convive com os catequistas, está em contacto com a sua diocese, participa nos enventos e encontros, dinamiza alguma coisa?

Ou fica a comentar bloques a descascar em que está a TRABALHAR para o evangelho, quem, sabendo que a Igreja não é perfeita, dá o pouco tempo que lhe sobra?

D. Manuel Clemente é um homem competente, com alguma capacidade mediática, que bem pode ser uma surpresa com a sua voz ponderada mas certeira.

A crise todos os dias derruba mais uma família. A igreja tem de estar lá para os apoiar, para não deixar os idosos cairem na indigência de morrerem abandonados, dar às crianças pobres um ensino que os eleve acima da sua condição, matar a fome a quem a tem e dar-lhes o apoio e a AMOR que lhes falta para resolverem a sua vida.

Isto faz-se com vento? Faz-se sem organização? Faz-se sem directores? Igreja pobre? EU QUERO É UMA RICA porque só assim ela cumpre a sua MISSÃO.

Sou TOTALMENTE a favor da intergração dos leigos, das MULHERES, da paróquia à Cúria romana. Há muita incompetência agora que desaparecia em três tempos se leigos com formação ocupassem certos cargos.

Agora não contém comigo para a obra do Demónio - destruir a igreja, atomizá-la até ser uma coisa irrelevante que desaparecerá em duas gerações.

Como vejo o mundo hoje, nem sei se as dura mesmo assim.

Peço desculpa pelo desabafo mas hoje encontrei um bando idiotas a urinar para a porta de uma igreja e sinceramente tremi da cabeça aos pés pelo estado a que isto chegou.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Aceito que o meu comentário tenha sido censurado. Imagino que foi devido às expressões escatológicas que inseri nele. Desta feita não as ponho. Apenas expresso a minha alegria pelo que o Papa Francisco disse.

«The interpretation of the Sacred Scriptures cannot be solely an individual scholarly effort, but must always be compared with, inserted within, and authenticated by the living tradition of the Church».

«This entails the insufficiency of any interpretation that is subjective or simply limited to an analysis incapable of accommodating within itself that overarching sense which over the course of the centuries has constituted the tradition of the whole people of God».

Jorge Pires Ferreira disse...

Pode chamar-lhe censura à vontade (também será censura o corte de publicidade ao viagra e outros medicamentos que todos os dias tentam pôr aqui?). Foi apenas um ato de decência perante linguagem inqualificável. E ainda mais em alguém que citando o Papa se reivindica católico. E olha que a palavra escatológico, mesmo no sentido que lhe quer dar, não se aplica ao que escreveu.

Peter disse...

Carlos Bernardo, a Igreja não é um exército, é povo de Deus, por isso não necessita de príncipes e de comandantes mas de pastores no sentido total da palavra PASTOR, aquele que leva e indica os campos onde há alimento, mas depois deixa que sejam as “ovelhas” a escolher e a alimentar-se por si próprias, não aquele que as empurra à “paulada” para os campos que delimita com as suas cercas doutrinais onde está o alimento que quer que elas, aquele que vigia apenas para que não corram perigo e não aquele que VIGIA para controlar e delimitar a quantidade e o alimento que elas comem! Aquele que só fica feliz quando elas estão saciadas ao invés de as submeter a jejuns da liberdade do Ser!

O Bernardo acha que só porque se ama Jesus e a sua Igreja que é esse povo de Deus servindo-a com as nossas vidas nos isenta da crítica e de correcção?!!! Não me parece que foi isso que Jesus fez com os seus Discípulos e olhe que Ele sabia bem do Amor que Pedro e outros nutriam por Ele! Não é “destruir” é melhorar-aperfeiçoar aquilo que não está bem e eu incluo-me também nisso que não está bem! E sou cristão-católico sim, mas no sentido e significado total da palavra, nessa UNIVERSALIDADE que acolhe a todos e não só os que comem connosco à mesa da comunhão!

Amigo e Irmão, conhecera o senhor as horas, os dias sem ocaso que se esvaem nos muitos anos que dediquei da minha vida a essa Igreja que por vezes trata pior que uma madrasta os seus filhos, nem queira saber e nem imaginar os abandonos que ela submete tantos filhos numa ira que só descansa quando os vê totalmente na indigência… melhor ficar por aqui, Deus sabe, e Ele jamais abandona os seus filhos! Sobre o Irmão bispo Manuel Clemente, não me vê aqui a atacá-lo nem a ninguém, exprimi apenas uma preocupação pessoal e apoiei-a num texto que é precisamente de um outro irmão Bispo, um texto que para “surpresa” minha o Bernardo nem sequer o aborda, depois dessa sua larga “critica” ao meu comentário!

Eu também quero e luto por um mundo e uma Igreja melhor, mas não à minha medida como tantas vezes me apontam aqui, mas à medida do Amor do Pai a quem eles pertencem e por quem foram criados! Nisso, a Igreja, o Irmão Bernardo e todos contem comigo, até com a minha vida…

Peter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Peter disse...

Anónimo (9:14 AM), cada um usa a sua capacidade cognitiva nas mesmas medidas em que vive como pessoa livre, e os “livres” de espírito, sabem o que querem sem terem que depender de outros para decidir e pensar a Vida da Fé e não só, também fazem caminho com outros e escutam-nos, por isso, não precisa de perder tempo a fazer past-copy do pensamento expresso pelo nosso Irmão Francisco, se há leitura que me ocupa a alma, a desse Irmão é uma delas, e olhe que a faço não só com os olhos e a razão, mas sobretudo com o coração!

Anónimo disse...

Então mas o senhor não faz copy paste? Qual é o mal?
Olhe, tome do seu remédio:
(...também fazem caminho com os outros e escutam-nos...)
Sinceramente.você é que dá com o cajado em todos e diz que é todo fraternidade.
Olhe que lho digo isto como amigo porque o senhor realmente prega bem mas uma e outra vez espalha-se.Seja mais fraterno.

Peter disse...

Anónimo (11:03)... ESCUTAR não é OUVIR... e fazer caminho com outros não é andar ao colo de alguém, é antes caminhar pelo seu próprio pé e comer com a sua mão sem ter que perpetuar esse “estado de meninos de leite” infantilizando a vida da Fé como alertava Paulo aos Coríntios ....

Anónimo disse...

Meu Deus! Mas o Peter passa a vida a fazer "copy & paste" e agora insulta quem também o faz? Estaria taralhoco se já não conhecesse a "peça".

Anónimo disse...

O Peter é verdadeiramente um mártir da fé.

Dia após dia ele está aqui a apresentar argumentos sólidos e convicentes de santa e cristã doutrina, a ensinar-nos a viver a nossa fé de forma mais adulta e consciente, resgatando as ovelhas que insistem em seguir o caminho das outras, porque a igreja não é rebanho de nenhum cajado mas consciência individual que dialoga com outros, cuja tradição tem de ser permanentemente revista porque não se dialoga com os mortos e com o passado. A igreja é novidade! A igreja é vida!

E qual é a paga do Peter? Ser vilmente recompensado pelo seu trabalho em prol do Evangelho de Cristo e da santificação da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, guiada agora pelo Santo Padre Franciso, com a qual ele está em perfeita comunhão, não ouvindo o que ele diz, mas escutando, afirmando a sua visão contra qualquer poder mundano pois ele é todo de Cristo e só a Ele se confessa, só com Ele dialoga nas muitas horas que dedica à oração contemplativa diante do Santíssimo Sacramento, o Corpo de Cristo.

Que triste tempos estes em que um Cristão digno e desta envergadura, sempre disponível para ajudar o seu irmão nos tropeços da fé frouxa dos fracos, é assim atacado por anónimos mal intencionados, que não puxam pela cabeça e são simple e miseráveis seguidores.

Peter é a razão pela qual eu vou seguindo este blogue, logo depois, obviamente, do trabalho excelente do Jorge, seu autor, cujos comentários tanto me ensinam, e aqui fica o meu obrigado.

Jorge é o Cristo deste blog, mas a sua Pedra é e será sempre Peter!

Luís

Anónimo disse...

Luis, grato pelas suas palavra de ânimo… e não ponha nem ninguém: “… outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo." I Coríntios 3,11… e a olhar a penas para Ele, o resto, caminhamos todos juntos, o Pai não nos deu a escolher os companheiros(as) de caminho, colocou-nos a todos no mesmo Caminho da Fé…

Saudações fraternas


Peter

Anónimo disse...

correcção:

a olhar apenas para Ele..

Peter

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...