terça-feira, 16 de abril de 2013

Primeiro-ministro de Espanha ofereceu livro de autor português ao Papa

Ilustração de  "De Aetatibus Mundi Imagines" (da Wikipedia)

Um jornalista (obrigado, Octávio) diz-me que a o futebol foi secundário no encontro com o Papa (ver entrada anterior).  "Ha habido un intercambio de opiniones sobre la difícil situación económica y financiera mundial a la que se enfrenta España al igual que otros países europeos, y que ha causado una grave crisis del empleo, afectando a numerosas familias, particularmente a los jóvenes".

Vendo o que foi o encontro, nem sequer a camisola foi a oferta mais importante. No Religión Digital leio que Rajoy ofereceu uma joia daBiblioteca Nacional (espanhola) ao Papa Francisco. Trata-se em concreto de uma cópia da obra "De Aetatibus Mundi Imagines".

Ora, diz o o artigo, “la obra es una crónica del mundo en imágenes realizada por Francisco de Holanda, autor de origen flamenco del siglo XVI”.


“Autor de origen flamenco”? Bem, talvez pelo pai ou avô. Já Francisco de Holanda é portuguesíssimo da silva. Nasceu em Lisboa, no dia 6 de setembro de 1517. E em Lisboa morreu no dia 19 de junho de 1585, já sob Filipe II ( "I de Portugal", como dizia o livro de História do meu pai). O pai dele, António de Holanda, talvez tenha nascido nos Países Baixos, mas mesmo em relação a isso não há certezas.

Isto também é notícia: "Primeiro-ministro de Espanha ofereceu livro de autor português ao Papa".

Sem comentários:

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...