domingo, 7 de abril de 2013

Bento XVI, mais pronto a ir embora do que a mandar embora

"Eu amei e amo o homem Joseph Ratzinger, que a delicadeza da sua alma tornou tão hesitante, reservado, indeciso, mais pronto a ir embora do que a mandar embora!"



Boa síntese do final do pontificado de Bento XVI, por Francesco Rossi De Gasperis. Lido aqui.

25 comentários:

josé disse...

E quantos teólogos foram mandados embora?

maria disse...

teólogos e não só.

Peter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Peter disse...

“É sempre arriscado nomear um teólogo para a função de Papa. Ele pode fazer de sua teologia particular, a teologia universal da Igreja e impô-la a todo o mundo. Suspeito que esse foi o caso de Bento XVI, primeiramente enquanto Cardeal, nomeado Prefeito da Congregação da Doutrina da Fé (ex-Inquisição) e depois Papa. Tal fato não goza de legitimidade e se transforma em fonte de condenações injustas. Efetivamente condenou mais cem teólogos e teólogas por não se enquadrarem em sua leitura teológica da Igreja e do mundo…!

In… Leonard Boff “O colapso de sua teologia: razão maior da renúncia de Bento XVI?"...... !!!

!!!!...um texto muito duro... a ler aqui: http://leonardoboff.wordpress.com/2013/03/09/o-colapso-de-sua-teologia-razao-maior-da-renuncia-de-bento-xvi/

Anónimo disse...

Teólogos (e não só) manados embora?

Alguém quer fazer uma lista e apresentar os motivos? Não, pois não? Já sabemos o motivo: nada de dizer a verdade; apenas atirar barro de mentiras para a parede.

Anónimo disse...

Leonardo Boff é o frei Bento brasileiro: ressabaido; esclerosado; decrépito; agarrado a um passado em que que sonhou impor o marxismo à Igreja. Já cá não faz falta.

Anónimo disse...

É curioso ver que quem se lamenta por Ratzinger ter, numa missão eclesial confiada a si, condenado centenas de pessoas (e que tal uma lista? ui... nada disso? e qual o motivo? já o sabemos: seria apenas algumas centenas vezes 10 elevado a menos 2 e com fartos motivos) estar a condenar, estando fora da Igreja por vontade própria, esse mesmo Ratzinger. Aí está o que seria a igreja à imagem de Boff...

Anónimo disse...

Caro Anónimo (12:04 PM), pediu uma lista, pois aqui a tem, nela parece-me haver de tudo, mas nada que se pareça a “barro” e “mentiras”:

https://docs.google.com/file/d/0B9NYHdRmfMfZM0k4MFhROXlUMVk/edit


Peter

Anónimo disse...

Muito obrigado, Peter
Agora há que ler a lista e perceber, caso a caso, o que realmente se passou.
Sim, dá trabalho, mas isso do "muitos", "poucos", "barro", "mentiras" é postura acrítica. Bento XVI bem merece o benefício da dúvida, não?

Anónimo disse...

Eu também vou ler! Mas começo nos casos a partir de de 24 de Novembro de 1981, data em que foi nomeado Prefeito da Congregação.

Começar um documento com erros de palmatória desses já me faz ficar desconfiada...

Maria João Brás

Anónimo disse...

Cara Maria João, não fui eu que elaborei o doc. e realmente tb reparei nesse "pormenor, só quis aportar mais alguma luz ao tema com dados concretos, que infelizmente não tratam de “barro de mentiras” mas situações bem reais! E caro Anónimo (9:17 PM), é claro que toda a pessoa me “merece o benefício da dúvida “ seja ela quem for, mas os factos aí estão, e isso meu caro, ao contrário do que diz, é que não dá mesmo espaço a qualquer “postura acrítica”, a não ser que desejemos olhar para o lado! Mas sim, estou também a analisar melhor casa caso, alguns já os conheço sobejamente para alimentar alguma dúvida, como é o caso de Fr. Eugen Drewermann (aquele livro dos “Funcionários de Deus” é muito forte…!), do Dom Pedro Casaldáliga, Lonard Boff e outros…


Peter

Anónimo disse...

Hahaha... na lista até aparecem pessoas que foram reabilitadas! Hahahaha... Depois tem nomes duplicados e triplicados... Noutros locais a fonte de informação é o "The New Yorker"... hahahaha... depois há autores que até admitiram abertamente que estavam errados... até me estão a vir lágrimas aos olhos... centenas! são, não mais do que 50: para serem centenas, como disse o mentiroso, teriam que ser, pelo menos, 200... mais uma mentira, pois...

Anónimo disse...

Caro Anónimo (11:17 AM)… nem que se tratasse apenas de um caso, ou também é daqueles que carrega uma fita métrica e uma balança para pesar e medir o mal “nessa espécie de tabela dos pecados” que ainda muitos usam! Acha que existe algum motivo para gargalhar! Por acaso conhece ou pode estar seguro que não existem muitos silêncios impostos e que muitos deles até são desconhecidos do público! Quantos casos terão ficado no silêncio por razões que nem vale a pena aqui citar, ou o caro habita numa Igreja onde os vitrais são assim tão transparentes e abertos ao olhar de todos! Certamente devem estar na mesma medida com que se mantêm os arquivos do Vaticano! O que ali se esconderá? Pois, porque se ali não há a nada a esconder, porque se mantém então inacessíveis! O caro só pode estar de má fé ao abordar dessa forma uma questão que tanto sofrimento provocou e ainda provoca aos seus irmãos e irmãs na Fé! Não estranho nada a sua reacção, quem olha para um caso com tal olhar, pouco se lhe dá que sejam 50 ou 100… ou até só 1…!

Peter

Anónimo disse...

E se foram pois “reabilitadas” como diz, então isso significa que antes foram condenadas ou não...!

Peter

Anónimo disse...

«O que propomos não é teologia no marxismo, mas marxismo na teologia»LEONARDO BOFF,Jornal do Brasil, 6 de Abril de 1980
-Perceberam? :D

Anónimo disse...

Peter... a questão é saber se foram condenadas por Ratzinger, e não no século XIX! Consegue, com a sua parca honestidade, aperceber-se desta distinção? Não se trata de "fita métrica", mas de apontar a falsidade da alusão, em Boff e Bento, a "centenas" de casos. Compreende? E caro Peter... sabe o que merece a sua alusão ao arquivo do Vaticano? Uma valente gargalhada diante tamanha ignorância: todos (repito: todos) os arquivos de todas as nações possuem um período de reserva na divulgação dos seus documentos. Sabe disto, não sabe? E quem é que pode aceder, mesmo em Portugal, às informações da PIDE sobre A ou B? Qualquer pessoa? Claro que não. Você sabe disso, não sabe? Ou é assim tão ignorante (não precisa de responder, já todos sabemos a resposta). E não: essas pessoas que foram chamadas à atenção e persistiram em propor caminhos distintos dos identitários da Igreja Católica é que fizeram milhares e milhares de vítimas iludidas com as suas promessas ideológicas totalmente afastadas da fé Bíblica que o Peter tanto preza. Querem continuar a propor esses caminhos? São livres de o fazerem, mas não se identificando publicamente como católicos. Que alegria que tais advertências aconteceram. fazem-me lembras as palavras de Paulo acerca dos "cães" que mentiam acerca do Evangelho (Sabe em que carta deste estão tais referências; não sabe? o Peter sabe tanto...). Amén!

Anónimo disse...

Ahahahaha... e o Peter a enveredar por teorias da conspiração: diz o Peter que se não se sabe se existem, ou não, outros condenados, é porque se sabe, de certeza, que existem! Que velhaco! Que velhaco! Ei Peter: se não se sabe se o Peter é, ou não, um ladrão, é porque é-o de certeza. Que anda a esconder, ó velhaco?

Peter disse...

Caro Anónimo (1:12 PM), há aqui um equívoco que desejo esclarecer, que é pensar que estou a tentar reduzir a questão das perseguições ao “tempo” Ratzinguer! Ainda que seja o caso que estamos a focalizar por questões referentes à afirmação de Boff (não são minhas tais afirmações, não esqueça) …situo-me agora no tempo de Ratzinguer apenas por uma questão de “economia de espaço” e não por alguma vontade escondida de perseguir e condenar alguém! Infelizmente, a questão dos anátemas, perseguições e silenciamentos já se vem arrastando há séculos na Igreja, ela não se reduz ao tempo de Ratzinguer! Agora não lembrava a ninguém comparar os arquivos de um Igreja aos da “PIDE” ou outros, isso só vem confirmar que tal “instituição” significa tudo aquilo que tem a ver com poderes e reinos temporais, e nada tem a ver com o reino de Deus, que é espiritual e límpido, aquele que nada tem a esconder nem! “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”! e “O meu Reino não éd este mundo”…. Quanto aos “milhares de vítimas” elas não estão só de um lado, resumindo as tais “parcas honestidades”, a história e os factos falam mais do que todos nós aqui! Sempre foi mais fácil atirar pedras para o telhado do vizinho! E antes de ser católico eu sou cristão, essa é a diferença que ainda não entendeu.. somos amados como cristãos, e não porque pertencemos a um determinado grupo que possuí ou que carrega uma identidade doutrinal e um nome! Paulo fala abundantemente do tema! Também me fez recordar outras palavras dele com essa sua alusão aos “cães”: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” (Gál 1,8)… Olhe, nem vale a pena falar dos acrescentos doutrinais aos conteúdos do Evangelho… nunca mais sairíamos daqui…!

Peter

Peter disse...

Olhe meu caro Anónimo (1:35 PM)… não foram poucos os anos que servir e dei à Igreja, e tenho olhos para ver, ouvidos para escutar e uma razão para pensar… para se condenar alguém, persegui-la e silenciá-la não é preciso montar um processo em Roma, nas paróquias mais simples, nas comunidades religiosas, nos seminários e por aí além, persistem infelizmente ainda muito esse espírito dos “torquemadas”… aqueles que são figuras mais públicas, aí já outro galo canta! E se lhe restam algumas dúvidas, não precisamos de ir mais longe, atente no percurso dos diálogos travados aqui entre nós dois e com outros anónimos, se pudessem já me teriam silenciado-atirado para fora dos caminhos há muito, como agora apreendi claramente no comentário anterior do Anónimo (1:12 PM) que diz:

“Querem continuar a propor esses caminhos? São livres de o fazerem, mas não se identificando publicamente como católicos. Que alegria que tais advertências aconteceram. fazem-me lembras as palavras de Paulo acerca dos "cães" que mentiam acerca do Evangelho (Sabe em que carta deste estão tais referências; não sabe? o Peter sabe tanto...). Amén!

Não basta chamar alguém de “cães”, é preciso ainda se rematar tal “abraço” com um “Amém”… belo Cristianismo que não se coíbe de usar a palavra que serve de confirmação do Amor e da Comunhão em Deus para destruir aquilo que existe de mais sagrado no homem que é a Fé vivida e expressada na liberdade que Jesus ofereceu…!

Peter

Anónimo disse...

Caro Anónimo (1:12 PM), há aqui um equívoco que desejo esclarecer, que é pensar que estou a tentar reduzir a questão das perseguições ao “tempo” Ratzinguer!

O problema é seu. Era sobre Ratzinger que se estava a falar. Se não consegue manter-se dentro da questão em debate, aconselho-lhe o uso de um açaime mental. Sabe? É que a estratégia de alargar os horizontes para poder sair da questão em liça é uma técnica velha de quem não tem argumentos, mas aqui não pega.

Ainda que seja o caso que estamos a focalizar por questões referentes à afirmação de Boff (não são minhas tais afirmações, não esqueça) …situo-me agora no tempo de Ratzinguer apenas por uma questão de “economia de espaço” e não por alguma vontade escondida de perseguir e condenar alguém!

Óptimo. Ainda bem que não se centra na reabilitação de Rosmini apenas porque descreditei um dos nomes presentes na lista apresentada com as “centenas” de nomes “condenados” por Ratzinger.

Infelizmente, a questão dos anátemas, perseguições e silenciamentos já se vem arrastando há séculos na Igreja, ela não se reduz ao tempo de Ratzinguer!

Exactamente. Quem se põe voluntariamente fora da Igreja deve ser denunciado por esta como se tendo posto fora da Igreja. Que o teu sim seja sim, e o teu não seja não.

Agora não lembrava a ninguém comparar os arquivos de um Igreja aos da “PIDE” ou outros, isso só vem confirmar que tal “instituição” significa tudo aquilo que tem a ver com poderes e reinos temporais, e nada tem a ver com o reino de Deus, que é espiritual e límpido, aquele que nada tem a esconder nem!

Não Peter, ninguém, excepto na sua cabeça ignorante, está a comparar a Igreja com a PIDE, mas o modo de se tratar os arquivos na Igreja (na posse do vaticano e de cada diocese) e da PIDE (na posse do governo português). E onde é que o Peter vai buscar a ideia peregrina de que o «reino de Deus, que é espiritual e límpido»? Quer fundamentar biblicamente esta afirmação? Nega que esse Reino necessita, enquanto vivemos na nossa querida condição presente, de mediações?

“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”! e “O meu Reino não é deste mundo”….

Exactamente. Só é pena que o Peter queira que o reino seja deste mundo em temas como o aborto, a homossexualidade, o casamento gay e lésbico, a ordenação de mulheres, etc… Mas se o reino não é deste Mundo, está actuando neste mundo e precisa de suporte neste mundo. o que não é deste mundo são os critérios e os modos de acção. Mais um motivo para que o período de reserva no acesso aos arquivos seja maior do que noutros casos

Anónimo disse...

Quanto aos “milhares de vítimas” elas não estão só de um lado, resumindo as tais “parcas honestidades”, a história e os factos falam mais do que todos nós aqui! Sempre foi mais fácil atirar pedras para o telhado do vizinho! E antes de ser católico eu sou cristão, essa é a diferença que ainda não entendeu…
Não tenho que entender as suas diferenças. Para mim são irrelevantes. Ou o Peter tem-se em tanta consideração assim para pensar que os demais,a ntes de lerem o que escreve, se ponham a pensar “alto lá, o mister verborreia antes de ser católico é cristão?”. E já agora: quem aqui é que não o é? Olhe Peter: a questão são as centenas de vítimas de Ratzinger versus as milhares feitas pelos que foram censurados pelo mesmo. Ou está, com a treta do «“milhares de vítimas” elas não estão só de um lado», a dizer que ratzinger fez milhares de vítimas com as suas censuras? Já não lhe basta a mentira das centenas de Boff e Bento?
somos amados como cristãos, e não porque pertencemos a um determinado grupo que possuí ou que carrega uma identidade doutrinal e um nome! Paulo fala abundantemente do tema! Também me fez recordar outras palavras dele com essa sua alusão aos “cães”: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” (Gál 1,8)… Olhe, nem vale a pena falar dos acrescentos doutrinais aos conteúdos do Evangelho… nunca mais sairíamos daqui…!
Não Peter. Somos amados como seres humanos. Mas quem quiser ser cristão e católico, sem com isso querer ser amado mais, mas querendo amar mais segundo o que a Igreja Cristã Católica diz ser a interpretação correcta de um texto polissémico como a Bíblia, adquire uma identidade concreta e específica que merece o nome de “cristãos” e “católicos”. Quem se coloca voluntariamente de fora de tal identidade que vá partir lenha e funde uma igreja à emdida dos eu ego. E de facto, Peter, quem quer vir para aqui falar de outros evangelhos é o senhor: não os evangelhos mas o seu evangelho que aqui propaga. Mas ande lá, Peter: diga-nos onde estão os acrescentos doutrinais. Desça da sua petulante cátedra e ilumine-nos a todos.

Anónimo disse...

Olhe meu caro Anónimo (1:35 PM)… não foram poucos os anos que servir e dei à Igreja, e tenho olhos para ver, ouvidos para escutar e uma razão para pensar… para se condenar alguém, persegui-la e silenciá-la não é preciso montar um processo em Roma, nas paróquias mais simples, nas comunidades religiosas, nos seminários e por aí além, persistem infelizmente ainda muito esse espírito dos “torquemadas”…
Exactamente caro Peter. Os grandes Torquemadas aqui neste blog são frei Bento eo Peter (lembra-se do que disse de quem ia às igrejas rezar diante das imagens? e de quem era contra a ordenação de mulheres?) que atacam, com mentiras e vacuidades generalistas, tudo e todos que não concordam consigo. Eu, pessoalmente, não creio que a minha interpretação da mensagem bíblica se deva sobrepor a ninguém e, desse modo, acomodo-me, como é próprio de quem ama e dentro dos limites da minha consciência, à da Igreja Católica a quem amo como mãe e não como madrasta
aqueles que são figuras mais públicas, aí já outro galo canta! E se lhe restam algumas dúvidas, não precisamos de ir mais longe, atente no percurso dos diálogos travados aqui entre nós dois e com outros anónimos, se pudessem já me teriam silenciado-atirado para fora dos caminhos há muito, como agora apreendi claramente no comentário anterior do Anónimo (1:12 PM) que diz:
olhe para si, antes de olhar para os demais, caro Peter

“Querem continuar a propor esses caminhos? São livres de o fazerem, mas não se identificando publicamente como católicos. Que alegria que tais advertências aconteceram. fazem-me lembras as palavras de Paulo acerca dos "cães" que mentiam acerca do Evangelho (Sabe em que carta deste estão tais referências; não sabe? o Peter sabe tanto...). Amén!
Estou plenamente de acordo com esta observação. O Perter, bardo da mentira e da hipocrisia, vem para aqui cantar de galo dizendo que não é cristão isto ou aquilo; quando alguém justifica a sua posição e postura com algo feito por Paulo, ai, ai, ai se eu te pego, não é Peter?

Não basta chamar alguém de “cães”, é preciso ainda se rematar tal “abraço” com um “Amém”… belo Cristianismo que não se coíbe de usar a palavra que serve de confirmação do Amor e da Comunhão em Deus para destruir aquilo que existe de mais sagrado no homem que é a Fé vivida e expressada na liberdade que Jesus ofereceu…!
Pois é, Peter. Essas palavras são de Paulo. Dirigiam-se a pessoas como o senhor. Pessoas que desconstroem o evangelho à sua imagem e semelhança e atacam, com verborreias escritas e ódio retórico, quem não concorda consigo. Sabe o que disse o seu amigo frei Bento Domingues a alguém que discordou com ele um dia? “Vá à Merda” (está gravado!)

Anónimo disse...

Caro Anónimo (3:12 PM)… quando afirma “…Quem se põe voluntariamente fora da Igreja deve ser denunciado por esta como se tendo posto fora da Igreja. Que o teu sim seja sim, e o teu não seja não. “ não estará certamente a dizer que esse colocar-se fora da Igreja é colocar-se fora de Cristo ou da Instituição! Ou é!
Quando ao assunto da PIDE quem fez esse caminho foi o senhor, agora que é uma verdade que aqueles ficheiros da PIDE tinha muita miséria escondida feita a outros e lavagem da vida pessoal e íntima de outros ai isso é inegável,.. deve ser por causa disso que se fecharam a sete chaves tais arquivos! Ainda assim há uma pequena diferença que esqueceu de citar aqui meu caro, é que nos outros casos que refere esse abrir dos ficehiros ao público leva apenas um tempo bem definido por lei.. mas quanto aos da Igreja, bem podem passar séculos e a poeira continua lá sobre muitos desses arquivos!
A única mediação e o único MEDIADOR é Cristo:” Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” 1 Tim 2,5…
Sim, já percebemos que o tema das “chaves e do Reino” foram e são pretexto para alguns decidirem quem deve ou não entrar na misericórdia de Deus… e sobre a vida de outros e que nos seus critérios muito humanos querem impor a outros na sua visão muito pessoal das Escrituras, presumindo e exigindo a outros o devem viver, vestir, comer e outras coisas mais… já sabemos meu caro, são séculos desse caminho já feitos…!
Se milhares são “irrelevantes” só porque estão do outro lado, então está tudo dito…! E não lancemos o Irmão Ratzinguer como pedra de arremesso aqui, o que estamos a falar aqui é do que ele representa e o que foi feito a partir disso, não estamos aqui a “julgar-analisar” a pessoa mas os actos …! Ou só a instituição é que tem essa prerrogativa e quando se trata de “julgar” os actos dela aqui dél rei…!
Sim, tem muita razão ao dizer que “somos amados como seres humanos”… mas meu caro, se não existir conversão e acolhimento de Cristo nas nossas vidas, jamais receberemos esse AMOR mesmo que Ele queira nos ofertar gratuitamente como o faz…! Não basta ser amado.. é preciso RECEBER… seguir a Cristo.. isso é que é ser CRISTÃO que era aqueles a quem me referia…!
Por fim, aponte alguma afirmação minha aqui que contenha partes do Evangelho que aqui citei que não estejam de acordo e em verdade com o que está escrito na Bíblia! E nunca a minha preocupação foi essa questão da “identidade”.. o ser Amado e ser Salvo nunca exigiu nem pede um cartão de frequentador de templos e consumidor de doutrinas.. pede-me apenas sobre o AMOR : “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” (Ef 2,8-10).. em nenhum lado do Evangelho diz que sou salvo pela Igreja católica, ou outra igreja qualquer, diz apenas que sou salvo pela Graça e pede-me para andar no Caminho.. só isso.. essa máxima de que “fora da igreja ninguém se salva” já está muito gasta meu caro!

Peter

Anónimo disse...

Anónimo (3:20 PM)infelizmente aqui nem é preciso um gravador, as palavras escritas ao longo do tempo por estes lados, aí estão para atestar…

...e dizer que aquilo que o outro diz é “mentira” só porque se segue fielmente uma linha de pensamento sobre o Sagrado só porque as oficialidades o atestaram como verdade é muito pobre, mesmo muito pobre meu caro, é como tentar reduzir Deus a um pacote de doutrinas e gestos muito humanos… por isso, não é difícil perceber quem anda a “desconstruído” o Evangelho…!

Quanto ás “verborreias escritas e ódio retórico”.. nem vale a pena voltar ao tema… as pessoas não são cegas meu caro… pois… “O Perter, bardo da mentira e da hipocrisia,”…

Bom, coragem e rosto erguido .. com Deus caminhamos.. a olhar para o alto…

Peter

Anónimo disse...

errata:

queria dizer ... por isso, não é difícil perceber quem anda a “desconstruir” o Evangelho…!


Peter

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...