sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Eu é que sou o Papa

Quando foi eleito papa, João XXIII encontrou-se num corredor com o seu secretário e este, todo assustado, disse-lhe:
- Excelência, e que vamos agora fazer?
- Agora vamos acabar de rezar o breviário. E não te aflijas, homem, porque a quem fizeram papa foi a mim.

2 comentários:

Anónimo disse...

O que seria se tivesse sido a Igreja Católica a proferir, num só ano, os seguintes ditames religiosos:

Destruir as pirâmides;
Autorizar a pedofilia;
Permitir a mentira e a hipocrisia;
Autorizar a morte de quem protesta contra a evangelização da sociedade;
Proibir o cumprimentar os muçulmanos;
etc...

mas como foram os líderes muçulmanos egípcios a fazer isso, nada se diz...

Américo Mendes

Jorge Pires Ferreira disse...

Obrigado pelo seu comentário. Vou chamar o que escreveu para os comentários do texto de Anselmo Borges deste sábado.

Os legionários, os arautos, os sodalícios, os malteses, os imaculados... todos diferentes, todos muito iguais nos lados obscuros, nas trapal...