segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Das costas largas do Espírito Santo

Anda para aí uma teoria da dupla verdade, como na Idade Média. Diz respeito ao Papa. É mais ou menos assim: "Eu acho que o próximo Papa devia fazer isto mais aquilo e aquilo, por isso devia ser esta pessoa com estas características mais aquelas. Mas quem vai decidir é o Espírito Santo e esse será o meu Papa".

Ontem Marcelo Rebelo de Sousa, depois de conjeturar sobre tudo e coisa nenhuma, como é costume, disse: "Mas o Espírito Santo é que vai decidir". Nem sei por que hão de gastar dinheiro no conclave, ao preço a que as viagens estão. Mais valia fazerem um sorteio, como no livro dos Atos dos Apóstolos, para a eleição de Matias. Poupava-se dinheiro, tempo e a responsabilidade ficava toda do lado do Espírito Santo.

1 comentário:

Anónimo disse...

Olhe que ele foi mais cuidadoso do que as suas palavras quiseram dar a entender. Por outro lado, a presença de um padre jesuíta na RTP1 foi uma miséria. Uma miséria. Não gostei nada. Por outro lado a tirada mais brilhante da noite foi de uma senhora hiperbólica que disse que "quem quiser ser padre deve poder sê-lo".

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...