domingo, 3 de fevereiro de 2013

Bento Domingues: Santas, submissas e rebeldes

Bento Domingues, no “Público” de hoje, considera altamente negativa a persistência da hierarquia católica em não contar com as mulheres para conceber, projetar, orientar e realizar a missão da Igreja no mundo contemporâneo, ainda que noutros ambientes eclesiais essa situação ainda se possa apresentar como absolutamente normal, pois "sempre foi assim".

Amanhã porei aqui o texto na íntegra.


Este, sim, um bom texto para o Ano da Fé. Mas é ter fé a mais imaginar que o Ano da Fé vai contribuir em algo para mudar a teologia e pastoral católica das mulheres.

4 comentários:

Anónimo disse...

Ui... «não contar com as mulheres para conceber, projetar, orientar e realizar a missão da Igreja no mundo contemporâneo». Não sei em que Igreja Católica é que frei Bento vive, mas não é, certamente, na minha.

Jorge Pires Ferreira disse...

Ele tem razão: Se as mulheres contam, porque não estão nos sínodos, nas assembleias de presbíteros, nas reuniões de cardeais, nos concelhos episcopais e presbiterais, etc. etc.?

Se não é nos espaços que referi que se concebe, projeta, orienta e realiza a missão da Igreja, por que e para quê existem?

Claro que as mulheres contam na nossa Igreja católica. Um bocadinhinho, sim.

Obrigado pelo seu comentário.

Anónimo disse...

Contam, contam...para limpar o chão, cozinhar, lavar, passar a ferro. Então não contam? São as escravas de suas Exªs.

Anónimo disse...

Mas o das 7.43 está a oferecer-se para limpar o chão?

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...