domingo, 6 de janeiro de 2013

No Sporting perderam-se até as mais simples noções do calendário litúrgico


Só hoje tive conhecimento desta capa do jornal do Sporting, que saiu no Natal passado (julgo não ser o único a ter a sensação de que o Natal já foi há umas boas semanas). Anda muita confusão lá para aqueles lados, como se sabe. Tudo levava a crer que o episódio escolhido seria o Presépio. Teria tudo a ver com a quadra. Mas é capaz de ter havido demasiados candidatos ao lugar de burro - sem ofensa para este animal simpático e de conotações reais na tradição bíblica, como o leão, com a vantagem de ser pacífico.

Acontece que escolheram a Ceia. Talvez na Páscoa se decidam finalmente pelo Presépio, ou pelo Pentecostes, se já tudo tiver ardido, como é de esperar.

A Ceia está bem escolhida porque a seguir vem o Calvário. E nessas lides, mas sem nenhum cireneu de jeito, anda já o Sporting já há muitas jornadas. E como só falta um ponto para descer de divisão, este episódio permitirá aludir à descida aos infernos. Quanto ao Judas, embora eu tenha umas simpatias por este clube, não faço a mínima ideia sobre quem será. Não sei se há muitos, se há poucos. Vejo é que não há crentes suficientes para fazer uma equipa de 11.




Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...