sábado, 8 de dezembro de 2012

Anselmo Borges: A mulher mais importante de Portugal?

Rainha de Portugal (imagem de Vila Viçosa)

Texto de Bento Domingues no DN de hoje.

Uma vez, numa entrevista na rádio, um jornalista atirou-me: "qual é a mulher mais importante de Portugal?" E eu, naquela perplexidade de quando somos apanhados de surpresa: "Penso que é Nossa Senhora, Maria, a mãe de Jesus."

À distância e mais reflectidamente, julgo que respondi bem, pois é mesmo isso: Maria, a mãe de Jesus, Nossa Senhora, é, muito provavelmente, a mulher mais importante de Portugal e, possivelmente, até a mais influente. Pergunto a mim próprio o que seria a Igreja em Portugal sem Fátima e mesmo o que seria o país sem a Nossa Senhora. Frei Bento Domingues foi quem melhor definiu Fátima: "o cais de todas as lágrimas dos portugueses."

Assim, lá está Fátima e milhões de peregrinos, as romarias em todas as cidades, vilas e aldeias, uma devoção enraizada, mesmo para lá da prática religiosa oficial. Talvez porque a Igreja é profundamente masculina - Deus é Pai, Filho e Espírito Santo; a hierarquia é masculina: papa, bispos, padres, diáconos - e porque os portugueses interiorizaram uma imagem tradicional severa do pai, Maria aparece como almofada e afago, sobretudo em tempos dramáticos de crise, de guerra, de becos sem saída. É a Mãe.

Tem mesmo direito a dois dias santos de guarda, com feriado nacional. Um deles celebra-se hoje: a Imaculada Conceição. Ninguém sabe ao certo o que é que a maioria dos portugueses, mesmo católicos praticantes, entende por isso, isto é, o que se celebra na Imaculada Conceição Alguns pensarão na virgindade de Maria. Mas, de facto, o que se celebra tem a ver com a doutrina do pecado original, segundo a qual todos os seres humanos nascem em pecado, por causa do pecado de Adão e Eva. Maria, porém, constituiria uma excepção, pois foi concebida sem pecado.

Ora, é preciso confessar que precisamente aqui se concentra um nó de confusões. O Evangelho desconhece essa doutrina, que provém fundamentalmente de Santo Agostinho: em Adão, todos pecaram. Mas como sustentá-la, no quadro da evolução, quando ninguém sabe quem foram os primeiros humanos, já que a tomada de consciência foi lenta e progressiva?

E quem acredita sinceramente que os seres humanos são gerados em pecado? Uma vez, uma senhora, numa conferência, atirou-me que sempre era verdade que sou herege, pois nego o pecado original. Perguntei-lhe, porque é mãe de duas filhas, se acreditava sinceramente que elas tinham sido geradas em pecado e se ela tinha andado ao todo 18 meses com o pecado dentro dela. E ela, fulminante: "Nem pensar!" Conclusão: quando a fé não é reflectida como razoável, assistimos à dissonância entre o que se diz crer e o que realmente se crê. Afinal, o que está no Génesis é, decisivamente, em linguagem simbólica, outra coisa: o significado da passagem da animalidade à humanidade: como seres humanos, temos consciência de sermos únicos e mortais - cada um é ele/ela e sabe de si como único e mortal.

Maria não é importante por ser mãe de Jesus, mas, como diz o Evangelho, por tê-lo acompanhado, mesmo quando não compreendia. Procurou entender e seguiu-o até à cruz. E tornou-se sua discípula, convertendo-se ao Deus que Jesus anunciou: o Deus-amor, que não nos abandona, nem mesmo na morte, que é próximo de todos, que quer a libertação de todos, a começar pelos mais fracos, humilhados e ofendidos - entre estes estão as mulheres.

Como escreveu o biblista Xabier Pikaza, numa longa e densa investigação sobre o Evangelho, "Jesus não quis algo de especial para as mulheres. Quis, para elas, o mesmo que para os homens. Não procurou um lugar especial para elas, mas o mesmo lugar de todos, isto é, o dos 'filhos de Deus'". Depois, veio a traição: "Ao transformar-se em instituição de poder religioso e social, deixando de ser um movimento messiânico de libertação, a Igreja teve de aceitar as estruturas normais de poder, que tinha estado (e estava) nas mãos de homens. Logicamente, os homens justificaram depois essa situação (domínio patriarcal) com pseudo-argumentos religiosos, que vão contra o espírito de Jesus".

16 comentários:

Anónimo disse...

É profundamente ofensivo para nós homens que, segundo a teologia católica, só uma mulher tenha sido concebida sexuadamente de modo imaculado. Eis mais uma prova de que o Vaticano é um antro de pessoas que odeiam a masculinidade.

MJ disse...

Texto do Pe Anselmo Borges,não será?

Anónimo disse...

O Vaticano é um antro de homens que se vestem de mulher.

Anónimo disse...

O Vaticano já foi acusado de ser um antro de homens que odeiam as mulheres.

O Vaticano já foi acusado de ser um antro de homens que odeiam os homens.

O que é que ainda não foi dito sobre o Vaticano ?

Já sei : o Vaticano vai ser privatizado.

Anónimo disse...

Para quê perder tempo com privatizações! Aquilo não é uma teocracia! A não ser que seja alguma tentativa de alguém que está a escrever outro guião idêntico ao outro filme das sandálias que o Anthony Quinnn não queria calçar! O homem bem tentou oferecer aquelas riquezas todas em favor dos mais necessitados e famintos do mundo, mas aquilo foi um sonho, quando estava nessa parte do filme alguém tocou a sineta de alarme e gritou irado ao estilo do P.Adélfio do “Cinema Paradiso”: “corta-corta”, e lá se foi a outra parte do filme para a fiscalização prévia do tribunal constitucional deles que é uma coisa parecida com a “Congregação para a doutrina da Fé". Mas parece que a coisa não passou porque o banco ambrosiano colapsou, que é como quem diz, foi às malvas! Outra espécie de BPN incensado que os peregrinos de Fátima andam a pagar com as remessas que enviam para o Vaticano! Por aquelas bandas já está tudo privatizado há muito, até a pobreza dos cristãos!

Anónimo disse...

Lá vem o palhaço-poeta de novo falar, nas suas crónicas do além-mundo, do "Cinema Paradiso" para criticar tudo e todos os que não pensam como ele. Mude de cassete camarada e seja mais humilde e cristão. Tome sais de fruto e supere a azia pelos que vivem o catolicismo de um modo distinto do seu. Cresça, homem!

Anónimo disse...

Peter… ex anónimo!

Aaiiiihihiii, nem ao Domingo pode um coração voar livremente nas palavras! Esta alma Anónima das 12:52 p.m. anda de tal maneira traumatizada com as “transferências psicológicas” como escreveu alguém noutro comentário, que agora me impôs um castigo que nem à minha saudosa catequista lembraria, embora aquelas unhazinhas envernizadas não fosse coisa muito apreciada pelas alminhas que ela conduzia ao paraíso!

Imaginem que vou ter que passar a ser “mais humilde e cristão”, e ai de mim que me atreva a despir o pijama de “palhaço-poeta” que terei que levar vestido todo este inverno de proibições da liberdade de expressão! E como penitência, por causa das tentações de andar a perder tempo com essas “crónicas do além-mundo”, vou ter que escrever uma redacção com aquela canetas simples de molhar no tinteiro sem direito a mata-borrão, sobre o filme: “O Pai Tirano” com o saudoso Vasco Santa e tantos outros! E para complemento, levo um trabalhinho de casa: terei que escrever 100 vezes o título do filme: Pai Tirano… Pai Tirano….

Hhiiiiihiiii, quem me manda a mim pardal desalmado atrever-me a voar por estes beirais onde as telhas que cobrem a existência de alguns estão mesmo prontas a cair como sentença implacável sobre a cabeça de quem voa com outro rimo e piar diferente por estas bandas.. safa! Andeca que já se faz tarde e o sol quer esconder-se no horizonte deste belo dia de Domingo que o Senhor nos ofereceu a todos… pardais rebeldes e pardais santos!

Peter… ex anónimo! disse...

ops... distracção.. sou eu mesmo quem escreve esse comentário anterior das 3:22...

finou-se o Anónimo por causa das confusões de identidades... sorry...

Peter disse...

Ainda esta manhã estava a ouvir esse cântico precioso que é o Imagine do John Lennon… não sei não.. mas fazia muito bem a alguns voltarem a escutar tais palavras…

IMAGINE

Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

You may say
I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day
You'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world

You may say,
I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day
You'll join us
And the world will live as one

Anónimo disse...

"Imagine" é das canções mais anti-cristãs (mais anti-Jesus, pois) que foram escritas, mas como a estupidez ignorante dá salvo-conduto para a petulância arrogante tivemos que ver o palhaço-poeta fazer "copy and paste" da mesma. Vá-se catar, ou aprender a mensagem de Jesus, e depois venha para cá ó vp.

Peter disse...

Ò Anónimo das 9:57 p.m, por acaso não consegue ao menos uma vez, tirar dessas prateleiras cognitivas cobertas da poeira da pedra que anda a partir cada vez que aqui vem ranger os dentes nessa fúria crispada que não produz mais nada a não ser a linguagem do martelo da arrogância e da língua viperina que aponta a quem não lhe dá serventia às suas certezas integristas, por acaso é só o que tem como argumentos!

Pois, aí de quem lhe tocar na "vaca sagrada" da religião! Ò criatura, a religião nunca surgiu de mão divina mas humana! Não me surpreende nada que para si o “Imagine” tem mesmo que ser anti-religião, o que é precisamente o contrário, nunca houve canção que estivesse tão impregnada do espírito de Jesus e de valores definitivamente do Evangelho como esta, tem dúvidas! Então vamos lá a descodificar:

Por exemplo, enquanto as doutrinas religiosas do inferno e do céu não forem questionados, é seguro que o controlo das pessoas jamais terminará, por isso há que alimentar esse medo de perder o céu ou ir para o inferno, anestesiando as pessoas, não permitindo que elas se tornem adultas e construam a sua própria caminhada no dia a dia, no agora, por isso há que mantê-las numa espécie de ilusão, (que devem aguentar até chegar ao paraíso depois) mesmo que para isso tenham que sofrer as maiores injustiças e violências de outros! Quietinhos e cordeiros… depois terão a recompensa, mas é sempre depois!

Quem pode imaginar o que pode acontecer quando: Imagine there's no heaven…No hell below us…Imagine all the people Living for today… quando as pessoas se tornarem livres do MEDO e da CULPA e passam a caminhar apoiadas apenas em Deus e não nas estruturas religiosas, esse é o medo dos que vivem e se sustentam da culpa! Afinal, quem é que aqui está a ter um espírito anti-Jesus! Anti religioso talvez mas…já sabemos que fora da Igreja o homem não se salva..pois!

Depois, essa coisa de ”Imagine no possessions, o need for greed or hunger… Imagine all the people Sharing all the world”…Uuiiii, nem pensar, senão lá se nos vão os poderes das mãos, as riquezas e os impérios, as caridades e a possessão e o domínio sobre os pobres, da moral, enfim, um rol infindável de possessões e poderes! Afinal quem tem mais contribuído para criar conflitos e desunir a humanidade! Não é o tema RELIGIÃO…!

Não me surpreende nada a sua reacção, sou cristão mas não sou “estúpido”, embora o sr. já tenha perdido toda a vergonha e não se coíba de fechar a sua boca insultuosa aqui, mesmo sabendo que vai em contra-mão do seu suposto cristianismo tolerante! Testemunho cristão! Mas afinal o que é isso… mas adiante, a gente até compreende que para os espíritos religiosos institucionalizados como o seu, tal canção seja um perigo e abane a estrutura ideológica e institucional do establishment!

ERRATA: disse...

Errata!

O que queria dizer era isto:

Não me surpreende nada que para si o “Imagine” tem mesmo que ser anti-religião, o que é verdade...

… mas não é verdade que ela seja anti-cristã…

… nunca houve canção que estivesse tão impregnada do espírito de Jesus e de valores definitivamente do Evangelho como esta! Tem dúvidas, então vamos lá a descodificar:

Peter

Anónimo disse...

É engraçado como estes anónimos anonimamente se reconhecem, dialogam, insultam... O silêncio e a benevolência do proprietário do blogue é que é deveras edificante (sem a mínima ironia)! Bem haja, Jorge ! E os meninos ou as meninas anónimas ganhem juízo e acalmem a líbido de outra maneira porque, como dizia Cesariny, "Afinal o que importa não é ser novo e galante / - ele há tanta maneira de compor uma estante"...

Boa noute

Peter disse...

Interessante Anónimo das 5:33 a.m.,

… é realmente verdade e de uma paciência sem limites, a hospitalidade do Jorge, mas Anónimo(a), isso é um “preço a pagar”” para quem abriu o espaço á discussão entre seres humanos, repare, falo de humanos e não anjos e muito menos deuses, que nos seus falares por vezes dão mais murros na mesa que abraços é verdade, mas como diz o povo, “quem não se sente não é filho de boa gente” !

Mas olhe que este seu bater de porta apressado, não deixa de carregar também muitos significados! Pois, eu até entendo, ele há que correr depressa daqui para fora, dissimulando essa consciência que também não se coibiu de fazer exactamente aquilo que aponta a outros, nesses juízos que desenham pinturas de desejos que os outros “ganhem juízo” e ainda por cima arroupados em análise da “libido” alheia! Boa, diz o roto para o nu, porque não te vestes tu!

Quanto ao “compor a estante, realmente ele há muitas estantes para todos os gostos! Também para aqueles que não se coíbem de subir aqui ao escadote para subir mais alto como quem tenta alcançar aquelas estantes que expõem conteúdos que tanto lhe despertam a curiosidade, ainda que saiba que eles o escandalizarão pelos barros tão humanos! Também deixe que lhe diga que ainda sobra espaço para montar e compor mais umas estantes para expor certas purezas imaculadas que ainda não compreenderam que ser cristão é ser humano na totalidade!

Esse é outro espírito religioso que infelizmente é tão corrente nos dias que correm, essa mania de colocar asas de anjos em seres de barro para que a montra das nossas espiritualidades fique bem composta ao olhar religioso!

Muito gostaria eu que o Anónimo me explicasse a sua compreensão sobre a libido que povoou aqueles embates também tão barrentos ente Paulo e Pedro ou entre Paulo e Barnabé e outros casos tão bem conhecidos! Olhe que até Jesus chamou Satanás ao pobre Pedro… pois…!

Pede-se pois encarecidamente ao Jorge que coloque aqui um filtro no blog para barrar as fragilidades e os barros tão pobres da nossa humanidade real que tanto escândalo provoca a algumas almas!

Peter disse...

Já agora Anónimo das 5:33 a.m.,

…não custa nada pelo monos perceber e verificar o ACOSSO que tenho sofrido constantemente aqui por tal Anónimo só por emitir opiniões! Não justifica nada é claro, mas haja alguma verdade pelo menos quando “analisamos-julgamos” comportamentos!

Maria-Portugal disse...

"Os factos são sagrados,as opiniões são livres"- dentro dos limites do respeito entre seres humanos,claro!

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...